Majeski lembra centenário de Darcy Ribeiro

Em discurso na sessão, parlamentar destacou contribuições do antropólogo para a educação, a cultura e a política do país

Por João Caetano Vargas, com edição de Angèle Murad

Foto em preto e branco de homem sorrindo, de terno e com óculo e bigode
Foto: Célio Azevedo/Arquivo Senado Federal

O centenário de nascimento do antropólogo Darcy Ribeiro, comemorado nesta quarta-feira (26), foi o tema do pronunciamento do deputado Sergio Majeski (PSDB), na sessão ordinária desta manhã. “É uma pena muito grande que uma parte considerável dos brasileiros não tenha a menor ideia de quem seja Darcy Ribeiro. Darcy Ribeiro foi antropólogo, historiador, sociólogo escritor, professor e também político. Inclusive quando morreu, ele estava exercendo o mandato de senador, pelo estado do Rio de Janeiro”, pontuou. Darcy faleceu em 1997, aos 74 anos. 

O parlamentar citou alguns dos feitos do político. “Foi um dos fundadores da Universidade de Brasília, ajudou a idealizar os Centros Integrados de Educação Pública (CIEPs), que foi aquele modelo de educação integral, mas com construção de prédios próprios, na época em que Brizola governou o Rio de Janeiro”, lembrou. 

“Foi um dos relatores da atual lei de diretrizes e bases da educação. Ajudou com os irmãos Villas-Bôas a criar o Parque Nacional do Xingu e era um árduo defensor da educação de qualidade”, complementou Majeski.

Legado

O tucano lamenta que o país não esteja celebrando o centenário de nascimento de Darcy Ribeiro. “É uma pena, num momento tão obscuro quanto esse que nós vivemos, que não se comemore, que não se lembre, que não haja uma série de debates sobre a vida e a obra de Darcy Ribeiro”, opinou.

O deputado citou um trecho do discurso do antropólogo na ocasião em que recebeu o título de Doutor Honoris Causa, na Universidade de Sorbonne, em Paris. “Fracassei em tudo que tentei na vida. Tentei alfabetizar as crianças brasileiras, não consegui. Tentei salvar os índios, não consegui. Tentei fazer uma universidade séria e fracassei. Tentei fazer o Brasil desenvolver-se autonomamente e fracassei. Mas os fracassos são minhas vitórias. Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu.”

Na opinião de Majeski, o sociólogo é referência da boa política e principalmente da educação brasileira. “Darcy Ribeiro deu a vida, na verdade, em nome do conhecimento, do desenvolvimento do Brasil, da educação, da cultura e devemos muito a ele. Ao contrário (do que disse em seu discurso), ele não fracassou tanto assim. Porque ele tornou-se uma grande referência no meio intelectual e, sobretudo, na educação brasileira”, concluiu.   

Fotos da sessão ordinária

Deputados: Sergio Majeski
Governo propõe auxílio para atingidos por chuvas
Projeto enviado à Assembleia retoma Cartão Reconstrução e prevê ajuda temporária de até R$ 3 mil para famílias de baixa renda atingidas por desastres naturais
Marino presta contas de trabalho à frente da Sesa
Em audiência, secretário de Saúde em exercício falou sobre pandemia, imunização contra Covid e outras doenças, investimentos públicos e judicialização
Lei põe fim aos fogos de artifício barulhentos
Além dessa norma, foram promulgadas leis sobre sessões de cinema inclusivas e oferta gratuita de perucas a pacientes de quimioterapia e radioterapia
Orçamento 2023 recebe 971 emendas
Comissão de Finanças terá até dia 7 de dezembro para acatar ou rejeitar as sugestões feitas à peça
Governo propõe auxílio para atingidos por chuvas
Projeto enviado à Assembleia retoma Cartão Reconstrução e prevê ajuda temporária de até R$ 3 mil para famílias de baixa renda atingidas por desastres naturais
Marino presta contas de trabalho à frente da Sesa
Em audiência, secretário de Saúde em exercício falou sobre pandemia, imunização contra Covid e outras doenças, investimentos públicos e judicialização
Lei põe fim aos fogos de artifício barulhentos
Além dessa norma, foram promulgadas leis sobre sessões de cinema inclusivas e oferta gratuita de perucas a pacientes de quimioterapia e radioterapia