Eleições: fila para votação e 18 pessoas detidas no ES

Para as autoridades, número de ocorrências de crime eleitoral foi pequeno e, de maneira geral, eleições aconteceram com tranquilidade

Por Titina Cardoso, com edição de Nicolle Expósito

Pessoas em fila aguardam em local de votação para votar
Biometria e problemas nas urnas foram apontadas como algumas causas para longas filas / Foto: Ana Salles

As eleições no Espírito Santo ocorreram com tranquilidade, no ponto de vista das autoridades do Espírito Santo. No total, 18 pessoas foram detidas por crime eleitoral no primeiro turno do pleito, realizado neste domingo (2).

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES), desembargador José Paulo Calmon Nogueira da Gama, destacou, em entrevista coletiva, que o “povo capixaba demonstrou maturidade” nas eleições, já que a expectativa era de tensão devido à polarização política.

“O balanço foi positivo, tivemos poucos incidentes. Foi um grande dia. A gente estava na expectativa de incidentes e não tivemos nada, nada, nada. O Espírito Santo está de parabéns”, disse o desembargador.

Para o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, Marcio Celante Weolffel, o número de ocorrências foi pequeno. “Foi uma ação muito bem montada em termo de integração entre as instâncias municipais, estaduais e federal. Foi um nível de tranquilidade muito bom”, proferiu o secretário em entrevista à TV Assembleia, diretamente do TRE-ES.

Foram 8 ocorrências de boca de urna; 6 de propaganda irregular, como o derramamento de “santinhos” de candidatos e propaganda eleitoral irregular em veículos estacionados próximos aos locais de votação; 1 caso de uso de documento falso; e 1 caso de utilização do celular na cabine de votação.

Dezoito pessoas foram detidas, sendo 9 em Serra; 2 em Vila Velha; 2 em Colatina; 2 em Guarapari; 1 em Venda Nova do Imigrante; 1 em Linhares; e 1 em Águia Branca.

O Procurador Regional Eleitoral do Ministério Público Federal (MPF), no Espírito Santo, Julio de Castilhos, explicou os procedimentos: “Foi feito um termo circunstanciado, que é quase que um ‘mini-inquérito’, previsto na Lei 9.099 e as pessoas podem responder penalmente pelos atos”, detalhou. Os infratores podem sofrer pena de reclusão ou multa.

Filas

As autoridades também se pronunciaram sobre os relatos de longas filas nas seções eleitorais. “Não aconteceu só no Espírito Santo”, informou o presidente do TRE. Segundo o desembargador, as filas aconteceram “em razão da biometria, número de eleitores por seção, inexperiência de alguns eleitores e alguns problemas nas urnas”.

Para o segundo turno, que acontece em 30 de outubro, a preparação será redobrada para evitar filas, de acordo com ele.

Urnas com problema

Em todo o estado, 229 urnas eletrônicas apresentaram problemas e 115 precisaram ser substituídas. O maior número de equipamentos com defeito foi na Serra (43), que é o maior colégio eleitoral do estado. Em Guarapari, houve problemas em 33 urnas e, em Cariacica – terceiro maior colégio eleitoral - em 27 equipamentos.

Orçamento 2023 recebe 971 emendas
Comissão de Finanças terá até dia 7 de dezembro para acatar ou rejeitar as sugestões feitas à peça
Próximo governo: policiais reforçam demandas
Em reunião na Ales, eles disseram esperar que o governador reeleito atenda pleitos apresentados durante campanha eleitoral
Chuvas: Ales sinaliza apoio aos municípios
Legislativo coloca-se pronto para atender e ratificar situações oficiais de calamidade pública, permitindo agilidade no repasse de recursos estaduais 
Bahiense quer prevenção a novos atentados em escolas
Presidente da Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente propõe medidas de segurança, como botão de pânico, câmeras de monitoramento e vigilância armada
Orçamento 2023 recebe 971 emendas
Comissão de Finanças terá até dia 7 de dezembro para acatar ou rejeitar as sugestões feitas à peça
Próximo governo: policiais reforçam demandas
Em reunião na Ales, eles disseram esperar que o governador reeleito atenda pleitos apresentados durante campanha eleitoral
Chuvas: Ales sinaliza apoio aos municípios
Legislativo coloca-se pronto para atender e ratificar situações oficiais de calamidade pública, permitindo agilidade no repasse de recursos estaduais