Psicóloga fala sobre mitos e sinais de abuso sexual

Palestra foi direcionada para estudantes durante reunião extraordinária da Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente

Por Titina Cardoso, com edição de Marcos Bonn

Estudantes na palestra
Crença de que silêncio e o tempo curam os traumas é equivocada / Foto: Lucas S. Costa

Mudança de comportamento, oscilações de humor e dificuldade de concentração e aprendizagem podem ser sinais de abuso sexual, segundo a psicóloga Jaddh Yasmin Malta Cardoso. Ela palestrou para estudantes de instituto de formação profissional da Serra que participaram da reunião extraordinária da Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente nesta terça-feira (24).

Confira mais imagens da comissão

A psicóloga alertou para mudanças comportamentais que as crianças e os adolescentes podem apresentar quando sofrem abuso, como quando uma pessoa muito extrovertida fica introvertida, ou aquela que é introvertida passa a apresentar comportamento agressivo ou violento. Outro sinal é quando o estudante passa a ter dificuldade de concentração e de aprendizagem.

Ela relatou que já atendeu criança com laudo de Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) mas, que, na verdade, estava sofrendo abuso sexual.

O presidente da Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente, deputado Delegado Danilo Bahiense (PL), também abordou alguns sinais que devem acender o alerta dos pais e professores, como mudança de comportamento, oscilações de humor, adoção de hábitos infantilizados, queda de rendimento escolar, perda ou excesso de apetite, lesões e hematomas sem explicação aparente, entre outros.

Mitos

A psicóloga também falou sobre alguns mitos relacionados à questão do abuso sexual, como o de que os abusos são raros e não acontecem com pessoas conhecidas. “Está muito mais perto de nós do que a gente imagina”, alertou.

Ela informou que uma a cada três a quatro meninas brasileiras e um a cada seis a 10 meninos sofrerão abuso até os 18 anos. A cada hora no Brasil, três crianças são abusadas e mais de 50% têm entre um e cinco anos de idade. Noventa por cento dos abusos são cometidos por pessoas próximas, sendo 30% pais e 60% conhecidos. Todos os anos, 500 mil crianças e adolescentes são explorados sexualmente.

Outra crença é a de que o silêncio e o tempo curam os traumas vividos pelas pessoas. “Esse mito de que o tempo cura, de que a criança vai esquecer (...). O tempo não cura nada. Quem cura é psicoterapia”, disse.

“O nosso organismo não é preparado para lidar de forma saudável com nenhum tipo de violência. Os casos de violência são potencialmente eventos traumáticos. O trauma é uma experiência agressiva, violenta, que nós sofremos ou assistimos alguém sofrer e que a gente não dá conta de processar de forma adaptativa e que traz perturbações de forma intermitente”, explicou. Por isso, segundo ela, a ajuda psicoterápica é fundamental. Além disso, o silêncio sobre os casos acaba gerando impunidade, de acordo com a palestrante.

Maio Laranja

A reunião integra as ações que marcam o Maio Laranja, mês de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. O deputado Danilo Bahiense destacou que, nos últimos dois anos, só na Grande Vitória houve 3,5 mil ocorrências de violência contra criança e adolescente. No estado, houve 226 partos de meninas de 10 a 14 anos. Além de Bahiense, a reunião contou também com a participação do deputado Doutor Hércules (Patri). 

Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular
Deputado alerta para uso responsável de auxílio
Majeski criticou oferta de crédito consignado para o Auxílio Brasil e lembrou os altos juros cobrados nos empréstimos
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular