Deputado alerta para banalização da violência

Sergio Majeski também refletiu sobre consequências de flexibilizar regras para posse e porte de armas

Por Wanderley Araújo, com edição de Nicolle Expósito

Deputado Sergio Majeski fala no microfone da tribuna do plenário
Deputado considera que agressões por motivos fúteis estão se tornando corriqueiras / Foto: Ellen Campanharo

As agressões por motivos fúteis e o crescimento da violência gratuita no país foram foco do discurso do deputado Sergio Majeski (PSDB) durante a sessão ordinária desta terça-feira (10). Tomando como exemplo notícias de repercussão nacional sobre episódios que revelam violência desmedida, o deputado considerou que a sociedade deveria refletir melhor e analisar se realmente vale a pena apoiar o discurso político em prol do armamento das pessoas no Brasil.

O parlamentar citou que um dos casos mais recentes do que classifica de violência gratuita foi protagonizado por um consumidor, após discussão sobre desconto em sanduíche em uma loja de fast-food em São Paulo. “Ele (o consumidor) deu um soco no atendente; não satisfeito ainda disparou um tiro que atingiu o funcionário, que acabou perdendo um rim”, relatou.

Fotos da sessão ordinária

Majeski lembrou também do acidente ocorrido no aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, quando houve disparo de uma arma que estava em poder do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, durante atendimento no balcão da Latam.

Uma funcionária da empresa aérea ficou ferida com estilhaços da munição. O fato aconteceu no final da tarde do dia 25 de abril. O ex-ministro da Educação do governo Bolsonaro (PL) disse em depoimento à Polícia Federal que o disparo foi acidental. Ribeiro afirmou ter pego a arma para separá-la do carregador, numa manipulação feita dentro da própria pasta que estava carregando, momento em que ocorreu o disparo.

O deputado ressaltou que principalmente por estarmos em ano eleitoral é preciso que venham à tona assuntos “importantes” não apenas relacionados ao armamento, mas também sobre a inflação, o desemprego, além da precariedade na saúde e o descaso com a educação.

Para Majeski, o que a população precisa saber é o que será feito para solucionar graves problemas no país e não as pessoas entrarem em debates “sem sentido”, como a suspeição relacionada à segurança das urnas eletrônicas nas eleições de outubro.

Arrombamentos

Torino Marques (PTB) cobrou do governo estadual ações mais rigorosas na área de segurança para enfrentar ações de bandidos que estão arrombando residências e praticando roubos e furtos na Grande Vitória e no interior capixaba.

Baseado em notícia veiculada na imprensa, ele citou que entre janeiro e abril deste ano crimes contra o patrimônio vitimaram 2.300 famílias. No ranking das cidades mais atingidas pelos bandidos, o deputado apontou Vila Velha, Vitória, Serra, Linhares, Cariacica e São Mateus. 

Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular
Deputado alerta para uso responsável de auxílio
Majeski criticou oferta de crédito consignado para o Auxílio Brasil e lembrou os altos juros cobrados nos empréstimos
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular