Projeto prevê canais de atendimento em redes sociais

Proposta obriga empresas responsáveis por redes sociais a fornecer e-mail e telefone para contato direto

Por Gleyson Tete, com informações de Marcos Bonn e edição de Nicolle Expósito | Atualizado há 3 meses

Pessoa exibe tela de celular com aplicativos de redes sociais
Projeto busca assegurar a consumidores possibilidade de contato com empresas / Foto: iStock

Sete novas propostas começaram a tramitar a partir da leitura no Expediente para simples despacho da sessão ordinária da Assembleia Legislativa (Ales) desta segunda-feira (9). Destaque para o Projeto de Lei (PL) 195/2022, do Dr. Rafael Favatto (Patri), que obriga as empresas responsáveis por redes sociais on-line a disponibilizarem canais diretos de comunicação. A matéria foi encaminhada para as comissões de Justiça, Defesa do Consumidor, Ciência e Tecnologia e Finanças.

O texto determina que as empresas disponibilizem aos usuários, em suas páginas principais, e-mail e telefone para contato direto. Ainda estabelece prazo de 24 horas, a partir do envio do chamado, para que as mesmas dêem retorno à demanda dos usuários que as acionarem por qualquer meio disponibilizado.

Conforme Favatto, “as redes sociais on-line estão crescendo mundialmente cada vez mais, e junto a esse crescimento, é extremamente necessário que seus usuários tenham à sua disposição ferramentas diretas para sanarem quaisquer problemas”.

Fotos da sessão ordinária

Veto

Ficou em prazo regimental o veto total do governo do Estado ao PL 86/2022, de Luiz Durão (PDT), que institui fundo estadual destinado a apoiar o trabalho de detentos capixabas. O pedido “trancou” a pauta da Ordem do Dia, que só voltará a seguir normalmente após a liberação do veto.

Na Comissão de Justiça, colegiado que tem como uma das funções avaliar os vetos do Executivo, o responsável pela solicitação de prazo foi o deputado Gandini (Cidadania). De acordo com o governo, a matéria de Durão foi vetada por invadir competência do Executivo ao criar atribuições e despesas para a administração pública estadual.

Entenda

O PL 86/2022 cria o Fundo Estadual de Recursos da Venda dos Produtos Oriundos dos Trabalhos dos Detentos do Estado, que tem como objetivo contribuir com a reintegração social dos apenados. A ideia é que os valores arrecadados com as vendas dos produtos feitos pelos detentos no período de cumprimento da pena sejam destinados ao fundo.

De acordo com a proposição, os recursos do fundo serão voltados para arcar com cursos de aperfeiçoamento, materiais e equipamentos para o preso desenvolver atividades profissionais. Após ser posto em liberdade, ele terá, em até 30 dias, acesso a equipamentos novos para manter o trabalho fora da cadeia. Para isso deverá comprovar a cada seis meses que continua exercendo a atividade. Caso contrário, deverá ressarcir ao Estado o valor dos aparelhos que recebeu.

Vitamina D

Segundo item da pauta, o PL 490/2020, do deputado Capitão Assumção (PL), também aguarda posicionamento do colegiado de Justiça sobre veto total aposto pelo governo. A proposta inclui a dosagem sérica de vitamina D no rol dos exames de rotina, bem como a respectiva dispensação do medicamento, nas Unidades de Saúde Pública do Estado do Espírito Santo. Segundo o Executivo, o impedimento deve-se ao fato que esse tipo de iniciativa de lei cabe somente ao governador do Estado.

Urgência

No Expediente sujeito à deliberação havia requerimento de urgência para o Projeto de Resolução (PR) 6/2022, do Capitão Assumção (PL), que cria a Comenda do Mérito Legislativo “Edward Hemming Dodd”, destinada a contemplar os membros da Igreja Cristã Maranata do Espírito Santo. O pedido, entretanto, não foi analisado por falta de quórum para a votação. No momento existiam apenas 15 deputados em plenário quando eram necessários 16. Dessa forma, o requerimento ficou para ser analisado na próxima sessão, a ser realizada na tarde desta terça-feira (10).

Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular
Deputado alerta para uso responsável de auxílio
Majeski criticou oferta de crédito consignado para o Auxílio Brasil e lembrou os altos juros cobrados nos empréstimos
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular