Aprovada matéria sobre climatização de escolas

Objetivo é garantir espaços com temperatura adequada para professores e alunos

Por Gleyson Tete

Sessão ordinária
Plenário durante a sessão desta segunda-feira (11) / Foto: Ana Salles

Os deputados aprovaram o Projeto de Lei (PL) 122/2019, que obriga o Poder Executivo a manter uma temperatura adequada nas salas de aula das escolas públicas estaduais. A proposta, de Gandini (Cidadania), foi acatada junto com outra que amplia direito dos autistas na sessão ordinária híbrida da Assembleia Legislativa (Ales) desta segunda-feira (11).

Tramitando em regime de urgência, a proposição já havia recebido parecer oral em Plenário pela constitucionalidade na Comissão de Justiça e pela aprovação no colegiado de Educação. Contudo, em Finanças, o relatório foi pela rejeição da iniciativa. Por conta disso, antes da votação Gandini pediu preferência pelo parecer de Educação. O pedido foi acolhido e o PL ratificado em votação simbólica.

Sergio Majeski (PSDB) questionou se tal proposta não deveria correr apensada ao Projeto de Lei (PL) 142/2022, de Theodorico Ferraço (PP), que também trata de climatização nas escolas públicas. O parlamentar argumentou que já havia apresentado proposições semelhantes que foram consideradas inconstitucionais por causarem despesas ao Executivo. Questionado sobre o assunto por Dary Pagung (PSB), que presidia a sessão no momento, Ferraço falou que preferia que sua iniciativa permanecesse tramitando sozinha.

Entenda

De acordo com o PL 122/2019, a temperatura ambiente no interior das salas de aula deverá ser mantida entre 20ºC e 23ºC. A ideia é deixar as escolas climatizadas dentro de padrões ideais para os locais que demandem atividades de dispêndio intelectual e atenção constantes.

Laudo para TEA

Na sessão ainda foi aprovado o PL 366/2020, de Torino Marques (PTB), que estabelece prazo indeterminado para os laudos médicos que atestam o Transtorno do Espectro Autista (TEA). A matéria altera a Lei 11.134/2020, do próprio parlamentar, que fixou em cinco anos a validade do laudo. Esse documento é importante para que as pessoas com TEA exerçam seus direitos e usufruam de benefícios previstos na legislação. Em anexo estava o PL 762/2021, do Doutor Hércules (Patri).

A iniciativa já havia sido analisada pelas comissões de Justiça e Saúde, recebendo parecer favorável em ambos. Estava pendente apenas o relatório em Finanças, que coube ao deputado Adilson Espindula (PTB). O parecer pela aprovação foi seguido pelos pares no colegiado e depois ratificado pelo Plenário.

Torino agradeceu aos colegas pela aprovação do PL e reforçou que o TEA é algo de caráter irreversível, por isso modificou a legislação de autoria dele para garantir que o laudo médico tenha prazo indeterminado. O parlamentar ainda lembrou que estamos no mês de abril, quando se comemora o Abril Azul, voltando para a conscientização sobre o autismo.

Agora, os dois projetos aprovados seguem para sanção ou veto do governador Renato Casagrande (PSB).

Confira como ficou a Ordem do Dia:

1. Projeto de Lei (PL) 905/2019, de Vandinho Leite (PSDB), que determina a responsabilidade administrativa e o dever de indenizar das empresas de transporte público coletivo que forem vitimados por crimes contra o patrimônio no âmbito do Estado do Espírito Santo. Prazo em Mobilidade Urbana;
2. Projeto de Lei Complementar (PLC) 15/2022, de Sergio Majeski (PSDB), que altera a Lei Complementar (LC) 971/2021, que regulamenta o § 10 do artigo 229 da Constituição Estadual para tornar obrigatória a possibilidade de realização das reservas das passagens por telefone e pela internet. Prazo em Finanças;
3. Projeto de Lei Complementar (PLC) 06/2022, de Sergio Majeski, que altera a Lei Complementar (LC) 971/2021, que regulamenta o § 10 do art. 229 da Constituição Estadual, para tornar obrigatória a fixação de cartazes ou placas nos terminais, postos de venda e no interior dos veículos, informando sobre os benefícios garantidos pela Lei Complementar. Prazo nas reuniões conjuntas;
4. Projeto de Lei (PL) 142/2022, de Theodorico Ferraço (PP), que estabelece no Estado a obrigatoriedade de constar a instalação de aparelhos de ar-condicionado nas planilhas orçamentárias que instruem os processos licitatórios das obras das escolas públicas estaduais, bem como fixa prazo para a instalação de aparelhos de ar condicionado nas escolas públicas estaduais em funcionamento, na forma que especifica. Prazo em Finanças;
5. Projeto de Lei Complementar (PLC) 17/2022, de Vandinho Leite (PSDB), que altera a Lei Complementar (LC) 401/2007, que define o caráter do Conselho Estadual de Educação (CEE) e suas competências. Prazo em Justiça;
6. Projeto de Lei (PL) 122/2019, de Gandini (Cidadania), que dispõe sobre a temperatura adequada a ser observada na climatização das salas de aula nas unidades de ensino público no Estado. Aprovado;
7. Projeto de Lei (PL) 366/2020, de Torino Marques (PTB), que altera o artigo 1º da Lei 11.134/2020, dando prazo indeterminado aos Laudos do Transtorno do Espectro Autista (TEA). Aprovado.

PLs incluem estradas do sul em plano estadual
Quatro vias em Cachoeiro, uma em Alegre e outra em Vargem Alta podem passar a fazer parte da malha rodoviária estadual
Doutor Hércules alerta para risco da diabetes
Parlamentar repercutiu, na sessão, dado da Sociedade Brasileira de Angiologia sobre amputação em decorrência da doença 
PLC fixa número de policiais por habitante
Proposta começou a tramitar na sessão ordinária desta quarta, quando também foi lido projeto que reduz o ICMS da gasolina
Farmácias seguem tendo que informar sobre ofertas
Ales manteve veto do governo a projeto que desobriga segmento farmacêutico de informar ao consumidor comparativo com o preço anterior ao promocional
PLs incluem estradas do sul em plano estadual
Quatro vias em Cachoeiro, uma em Alegre e outra em Vargem Alta podem passar a fazer parte da malha rodoviária estadual
Doutor Hércules alerta para risco da diabetes
Parlamentar repercutiu, na sessão, dado da Sociedade Brasileira de Angiologia sobre amputação em decorrência da doença 
PLC fixa número de policiais por habitante
Proposta começou a tramitar na sessão ordinária desta quarta, quando também foi lido projeto que reduz o ICMS da gasolina