PL veta interrupção de tratamento a não vacinado

Iniciativa vai garantir atendimento independente de o paciente comprovar a vacinação contra Covid-19, segundo Capitão Assumção

Por Gleyson Tete, com edição de Angèle Murad

Em sala de cirurgia, três pessoas com avental, touca na cabeça, luvas e avental cirúrgico
Medida valeria para qualquer tratamento médico, inclusive as cirurgias, conforme a proposta / Foto: Prefeitura de Niterói/RJ

Proibir a suspensão ou interrupção de qualquer tratamento médico ou cirúrgico em razão da exigência do comprovante de vacinação contra a Covid-19 no Espírito Santo. Esse é o mote do Projeto de Lei (PL) 84/2022, protocolado na Assembleia Legislativa (Ales) pelo deputado Capitão Assumção (PL). 

Para o parlamentar, existe uma tentativa do poder público de compelir o cidadão a se vacinar, mas ele não considera esse tipo de medida adequada. Ele também diz acreditar que a atitude configura uma grave violação ao princípio da dignidade da pessoa humana, ao direito à saúde e aos direitos basilares previstos na Constituição Federal.

“Deve ser realizada uma ponderação dos princípios constitucionais, devendo o Estado prestar saúde à população, e não ao contrário, suspendendo os tratamentos médicos, trazendo incertezas para os cidadãos e, na maioria das vezes, colocando em risco a vida do paciente por negar atendimento”, argumenta na justificativa da matéria.

Conforme a proposição, o estabelecimento que negar atendimento estará sujeito a penalidades como advertência e multa, que pode variar entre R$ 800  e R$ 1,2 milhão. Em caso de reincidência, a multa será duplicada e o alvará de funcionamento suspenso temporariamente.

As sanções deverão ser aplicadas por órgão ou entidade estadual definida em decreto. Tais penalidades administrativas não excluem a sanção penal nem a reparação civil pelos danos provocados. Quando tiver o direito ao tratamento negado, o paciente deverá comunicar imediatamente às autoridades citadas para que tomem as medidas necessárias.

Se o projeto for aprovado e virar lei, a nova legislação entra em vigor a partir da sua publicação em diário oficial.

Tramitação

A proposta foi lida na sessão ordinária híbrida do último dia 23 de fevereiro e encaminhada para as comissões de Justiça, Saúde e Finanças.
 

Proposta homenageia escritor capixaba
Iniciativa declara Amâncio Pinto Pereira patrono da Educação no Espírito Santo e busca dar visibilidade à produção literária do capixaba
Bancos de leite amparam mulheres na amamentação
Além de prover bebês internados com o leite doado, essas instituições também orientam mães no aleitamento  
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Proposta homenageia escritor capixaba
Iniciativa declara Amâncio Pinto Pereira patrono da Educação no Espírito Santo e busca dar visibilidade à produção literária do capixaba
Bancos de leite amparam mulheres na amamentação
Além de prover bebês internados com o leite doado, essas instituições também orientam mães no aleitamento  
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros