Olimpíadas científicas: alunas recebem certificados

Estudantes de escolas públicas da Grande Vitória e interior foram homenageadas em sessão solene

Por Aldo Aldesco, com edição de Marcos Bonn | Atualizado há 4 meses

Homenageada com certificado
Ao todo, foram entregues oito certificados / Foto: Ana Salles

O Certificado Meninas Olímpicas foi entregue a oito alunas de escolas da Grande Vitória e do interior durante sessão solene da Assembleia Legislativa (Ales). O evento foi realizado nesta quinta-feira (31), no Plenário Dirceu Cardoso, e teve como proponente a deputada Iriny Lopes (PT).

Veja o álbum de fotos

O Prêmio Meninas Olímpicas foi instituído pela Resolução 7.719/2021, de autoria da parlamentar, e destina-se às estudantes capixabas de escolas públicas participantes de olimpíadas científicas, incluindo as meninas indígenas e afrodescendentes. O prêmio consiste na entrega de um certificado para aquelas que se destacaram nas competições.

Iriny Lopes, que também é procuradora Especial da Mulher da Ales, destacou que a iniciativa é em defesa dos direitos e interesses das meninas. Embora as competições tenham meninas e meninos nas olímpiadas nas turmas iniciais do ensino, com o decorrer dos anos, afirmou ela, as meninas vão ficando para trás.

“As próprias famílias, pelas questões culturais, não tratam de forma igual filhos e filhas. As meninas ficam em casa no compartilhamento das tarefas domésticas e os meninos ficam mais livres. E isso cria um distanciamento que lá na frente consolida-se a ideia que os homens estão preparados para questões mais complexas”, analisou.

A deputada ainda destacou que, segundo a ONG Centro de Referência em Educação Integral, cerca de 16 milhões de meninas nunca terão chance de ir à escola. São aquelas que estão em situação de vulnerabilidade social, econômica e cultural.

“Só quem viveu sabe o quanto é difícil para uma mulher e ainda uma mulher negra chegar até aqui. Eu mesmo era uma pessoa que não acreditava em mim. Na minha cabeça eu sempre seria o quarto lugar, o bom, mas nunca o suficiente. Acreditava que acontecia com outras pessoas e não comigo”, relatou a representante das meninas olímpicas homenageadas Iane Martins Tavares Nascimento. Ela é aluna da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio de Guarapari.

Patriarcalismo

“Existe uma cultura enraizada da divisão sexual do trabalho. Essa cultura enraizada atravessa o ambiente escolar, familiar e profissional. Fui a única menina da minha escola a passar na primeira fase das olimpíadas de matemática. A gente sofre sendo a única menina. O primeiro brinquedo que ganhei quando criança foi uma boneca, o segundo foi um fogão”, exemplificou a representante do Levante da Juventude do Espírito Santo, Karini Bergi Albanez.

A sociedade enxerga as mulheres de forma limitada, apesar da participação significativa na produção científica do país, ressaltou a representante da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Iracema, em Conceição da Barra, Daniele Reis. Ela destacou a importância dos incentivos dado pelas escolas e pelos profissionais da educação às meninas.

Maior participação

A diretora da Escola Estadual de Ensino Médio de Guarapari, Cybele Tavares Serrano, enfatizou a importância da participação das meninas nas competições e o papel das escolas na vida de todos.

“Lugar de mulher é onde ela quer estar. Ela luta por isso. Nossa luta é ainda maior porque nós damos conta de filhos, de casa, de lar, de marido, de trabalho. Nós somos meio que camaleão. Nós mudamos de cor e buscamos resolver todas as nossas situações. Após dois anos de afastamento, estamos vivendo um grande desafio nas escolas onde a violência está crescente, em que os alunos estão voltando de uma clausura, da não convivência social nas escolas. Aí percebemos o quanto é importante a escola na vida de todos”.

A representante da Secretaria de Educação (Sedu), a subsecretária de Educação Básica e Profissional, Vanessa Coelho Bhakti, observou que nas competições o número de meninas é bem menor do que o de meninos. Ela reconheceu a importância dos incentivos para a participação das meninas nas olimpíadas e disse que a Sedu tem incentivado as competições em várias áreas do conhecimento. “Vamos juntos para poder chegar a redução desses números que acabam nos colocando como mulheres que não conseguem alcançar a igualdade que a gente tanto busca”, propôs.

Além dos citados, compôs a mesa de autoridades da audiência o diretor da Escola Estadual de Ensino Médio Renato José da Costa Pacheco, Glauber Silveira. A coordenadora do Movimento Meninas Olímpicas, Nara Bigolin, participou virtualmente da sessão solene. 

Homenageadas com certificados

  1. Maria Eduarda Casagrande Delpupo  - Olimpíada Nacional de Eficiência Energética (ONEE) – EEEFM Fioravante Caliman, Venda Nova do Imigrante;
  2. Julia Faria da Silva - Olimpíada Nacional de Eficiência Energética (ONEE) – EEFM Fioravante Caliman , Venda Nova do Imigrante;
  3. Ana Clara Santos Martins - Olimpíada Nacional de Eficiência Energética (ONEE) – EEEFM Iracema da Conceição Silva, Serra;
  4. Cecília Salomão Prates - Olimpíada Nacional de Eficiência Energética (ONEE) – EEEFM Iracema da Conceição Silva, Serra;
  5. Letícia Kalker - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP);
  6. Luna Ferreira Martins - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), Serra;
  7. Jessua Gonçalves Valadão Machado - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) – EEEFM Antônio Carneiro Ribeiro, Guaçuí;
  8. Iane Martins Tavares Nascimento - Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) – EEEFM de Guarapari.
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular
Deputado alerta para uso responsável de auxílio
Majeski criticou oferta de crédito consignado para o Auxílio Brasil e lembrou os altos juros cobrados nos empréstimos
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular