PL assegura atendimento ao consumidor

Iniciativa obriga estabelecimento a resolver demandas no próprio local, impedindo encaminhando de consumidor a outro meio de atendimento

Por Marcos Bonn, com edição de Angèle Murad

Pessoas carregando sacolas caminham em corredores de shopping onde há vitrines
Proposta é de autoria de Luiz Durão / Foto: Valter Campanato/Arquivo Agência Brasil

De acordo com projeto que tramita na Assembleia Legislativa (Ales), estabelecimentos comerciais poderão ser proibidos de encaminhar clientes para outros locais (ou meios de atendimento) quando o consumidor apresentar demandas sobre produtos ou serviços adquiridos. Pelo Projeto de Lei (PL) 130/2022, os estabelecimentos deverão resolver, no local, questões referentes à prestação de informação (garantia, troca, funcionalidade, riscos) e também aquelas relacionadas a valores cobrados (alterações e rescisões contratuais).

A proposta teve regime de urgência aprovado nesta terça-feira (22) e passará por análise das comissões de Justiça, Defesa do Consumidor e Finanças antes de ser votado pelo Plenário. 

Conforme o deputado Luiz Durão (PDT), autor do projeto, o objetivo é facilitar a vida do consumidor, evitando que ele tenha de se deslocar para outros pontos ou procurar novos meios de atendimento. Se não for cumprida a virtual lei, o infrator estará sujeito às sanções da Lei Federal 8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor).

“Tornou-se uma rotina na vida do cliente o direcionamento para outro ponto de atendimento, mesmo já estando presente em um dos pontos ou em contato com um dos meios disponibilizados pelo estabelecimento que comercializa o produto ou serviço que deseja tratar”, lamenta Durão na justificativa do texto.

Segundo o autor, trata-se de “situação inadmissível diante de tanta tecnologia atualmente à disposição dos estabelecimentos comerciais”. Pela proposta, ficam isentos da norma casos em que seja necessária atuação de assistência técnica. 

Deputados: Luiz Durão
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular
Deputado alerta para uso responsável de auxílio
Majeski criticou oferta de crédito consignado para o Auxílio Brasil e lembrou os altos juros cobrados nos empréstimos
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular