Empresários pedem mudanças na concessão do Pavilhão de Carapina

Frente Parlamentar das Parcerias Público-Privadas encaminhará relatório com as sugestões para o governo 

Por Marcos Bonn, com edição de Angèle Murad | Atualizado há 3 meses

Pessoas sentadas atrás de mesas
Frente parlamentar realizou reunião nesta manhã / Foto: Lucas S. Costa

Na reunião da Frente Parlamentar das Parcerias Público-Privadas (PPPs), nesta sexta-feira (18), empresários do setor de eventos demonstraram preocupação com o modelo de concessão do Pavilhão de Carapina, na Serra. Para eles, a minuta de edital deve passar por ajustes para não afugentar investidores e não penalizar o segmento turístico capixaba. As sugestões apresentadas serão encaminhadas ao governo do Estado, responsável pelo processo. 

O presidente do ES Convention Bureau, Elcimar de Paula, questionou a inovação prevista no projeto de concessão. Segundo ele, os quase R$ 22 milhões obrigatórios como investimentos estão vinculados à resolução de problemas estruturais, mas que no final das contas são obras emergenciais. Outra reclamação é sobre a área a ser terceirizada, que diminuiu, passando de 209 mil m² para 108 mil, o que dificultaria a captação de novos eventos. 

Marcos Milanez, diretor da Milanez & Milaneze, empresa de organização de feiras, avaliou o edital com bons olhos, mas ponderou sobre os investimentos na infraestrutura do local. Ele revelou, por exemplo, que o custo de aparelhos de ar-condicionado para a realização de eventos gira em torno de R$ 1 milhão, um alto custo que acaba sendo repassado ao expositor e contribui para a perda de competitividade. 

“A gente não acredita que uma iniciativa privada vá fazer investimento no pavilhão”, disse ele, informando que o Espírito Santo é o único estado do Sudeste que não tem um pavilhão para grandes eventos. A redução da área a ser concedida também foi criticada. “A gente precisa realmente repensar esse modelo de negócio e o Estado realmente fazer esse investimento e aí sim propor à iniciativa privada”, defendeu.  

O superintendente da Associação Capixaba de Supermercados (Acaps), Hélio Schneider, reforçou o apelo. Ele frisou os problemas estruturais existentes no espaço e pediu um projeto viável para o investidor. “Caso contrário vai ficar igual à BR-262, que entra em licitação, mas não aparece ninguém”, exemplificou.

Álbum de fotos da reunião da frente parlamentar

O edital 

O gerente de Estudos e Negócios Turísticos da Secretaria de Estado do Turismo (Setur), Rafael Granvilla, falou sobre o edital, cuja minuta está em elaboração e deve receber sugestões do setor produtivo e sociedade civil.  A expectativa é que em o edital seja publicado em novembro. Ele explicou que o espaço a ser concedido tem 108 mil m², três pavilhões e outros espaços externos para eventos. 

De acordo com Granvilla, o contrato terá prazo de 30 anos e valor total de R$ 139 milhões. Outros R$ 21,9 milhões serão destinados somente para investimentos mínimos. Além de explorar a arena multiuso, como está sendo chamado o pavilhão, a concessionária poderá implantar projetos associados, como espaços comerciais, sem contraprestação por parte do Estado. Há ainda uma parcela variável da qual o Estado participará, de 8% sobre a receita bruta. Esse índice será menor no caso de o desempenho da empresa for maior. 

Presidente da Frente Parlamentar, o deputado Bruno Lamas (PSB) falou das potencialidades do espaço onde está localizado o Pavilhão de Carapina e elogiou a iniciativa do governo de revitalizar o local. Mesmo que o modelo de concessão ainda não seja considerado como ideal, ele disse que o Estado terá sensibilidade para analisar as propostas. 

A reunião também teve a presença da gerente de Parcerias e Concessões da Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação, Educação Profissional e Desenvolvimento Econômico (Sectides), Simone Lemos Vieira; e do representante do Movimento Popular da Serra, além de empresários.

PLs incluem estradas do sul em plano estadual
Quatro vias em Cachoeiro, uma em Alegre e outra em Vargem Alta podem passar a fazer parte da malha rodoviária estadual
Doutor Hércules alerta para risco da diabetes
Parlamentar repercutiu, na sessão, dado da Sociedade Brasileira de Angiologia sobre amputação em decorrência da doença 
PLC fixa número de policiais por habitante
Proposta começou a tramitar na sessão ordinária desta quarta, quando também foi lido projeto que reduz o ICMS da gasolina
Farmácias seguem tendo que informar sobre ofertas
Ales manteve veto do governo a projeto que desobriga segmento farmacêutico de informar ao consumidor comparativo com o preço anterior ao promocional
PLs incluem estradas do sul em plano estadual
Quatro vias em Cachoeiro, uma em Alegre e outra em Vargem Alta podem passar a fazer parte da malha rodoviária estadual
Doutor Hércules alerta para risco da diabetes
Parlamentar repercutiu, na sessão, dado da Sociedade Brasileira de Angiologia sobre amputação em decorrência da doença 
PLC fixa número de policiais por habitante
Proposta começou a tramitar na sessão ordinária desta quarta, quando também foi lido projeto que reduz o ICMS da gasolina