Saúde mental é tema de iniciativas parlamentares

Lei e projetos apresentados por deputados buscam combater tabus e dar a devida atenção a quadros como depressão, ansiedade e síndrome do pânico

Por Gabriela Knoblauch, com informações da Sesa e edição de Nicolle Expósito

Pessoa agachada com a mão na cabeça aparece de lado em foto preto e branca
Campanha Janeiro Branco alerta sobre necessidade de atenção à saúde mental / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O impacto da pandemia na saúde mental foi sentido pelos capixabas. Segundo dados da Secretaria de Saúde do Espírito Santo (Sesa), houve um salto de 44% nos atendimentos psicossociais e psiquiátricos entre 2020 e 2021 no Sistema Único de Saúde (SUS), somando os serviços das redes municipais e estadual. Em 2021, foram ofertados 371.276 atendimentos. Enquanto que em 2020 foram 257.254.

Diante desse cenário, a Assembleia Legislativa (Ales) aprovou em 2021 a Lei Ordinária 11.380/2021, que estabelece diretrizes e estratégias de divulgação, orientação e tratamento psicológico e psiquiátrico para atendimento à pessoa acometida de sintomas de transtorno de estresse pós-traumático, depressão, ansiedade, pânico e tendências suicidas associados ao isolamento pós-pandemia de Covid-19. O projeto que deu autoria à lei foi apresentado pelo deputado Bruno Lamas (PSB).

Segundo Lamas, a lei detalha como o suporte deve ser oferecido. “Atendimento e a escuta multidisciplinar, a discrição no tratamento dos casos de urgência e o monitoramento da saúde mental de cada indivíduo, inclusive dos familiares que sofrem a dor da perda do ente querido”, enumera o deputado.

Bruno Lamas explica que a lei busca preservar a vida dos que sobreviveram ao período de pandemia. “Esta lei vem para salvar vidas. Estamos cumprindo com o nosso papel de legislador. A lei tem uma importância fundamental no pós-pandemia porque a doença deixou muitas famílias arrasadas e que merecem atenção especial do poder público”, destaca.

Políticas de saúde mental 

Outra iniciativa, ainda em discussão no Legislativo, quer instituir no Estado a Política de Atenção Psicossocial nas Comunidades Escolares. A proposta do deputado Dr. Emílio Mameri (PSDB) objetiva promover a saúde mental, acesso à atenção psicossocial, sensibilização da comunidade escolar em torno da questão e garantir a capacitação permanente dos profissionais envolvidos nessa política.

A saúde mental dos profissionais de segurança pública também é objeto de proposição que tramita na Casa. O Projeto de Lei (PL) 852/2021 cria a Política Estadual de Saúde Mental dos Agentes de Segurança Pública. A proposta do deputado Renzo Vasconcelos (PP) pretende agir de forma preventiva e assistencial em quadros de saúde mental dos agentes de segurança do Estado. Renzo aponta que o estresse inerente à atividade desempenhada pelos servidores demanda a criação de política na área.

Onde buscar ajuda

A Sesa orienta que quem precisa de atendimento em saúde mental deve buscar o acolhimento na rede de atenção básica mais próxima do território de moradia. As Unidades Básicas de Saúde e as Equipes de Saúde da Família farão os encaminhamentos quando necessário.

Os casos de maior complexidade – como transtornos mentais, psicoses e neuroses graves – são encaminhados para os Centros de Atenção Psicossocial (Caps), que são referência no tratamento para pessoas adultas com esses quadros. O Espírito Santo conta com três Caps, sendo que dois ficam em Cariacica (Caps Cidade e Caps Moxuara) e um em Cachoeiro de Itapemirim (Caps Cachoeiro). Atualmente, conforme a Sesa, 974 pacientes estão em acompanhamento periódico nessas unidades.

É necessário realizar o agendamento para o acolhimento e a compreensão do quadro. A etapa seguinte do atendimento consiste na análise psicossocial e na avaliação do perfil do paciente. Com base nas informações colhidas, é criado o Projeto Terapêutico Singular e agendada uma consulta com o psiquiatra.

Já em caso de surto psiquiátrico é preciso acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) para encaminhamento ao hospital de referência.
ARTE
Janeiro Branco

Com o objetivo de conscientizar sobre a importância dos cuidados com a saúde mental, a campanha “Janeiro Branco” passou a fazer parte do Calendário Oficial do Estado por meio da Lei 11.078/2019.

Segundo o deputado Adilson Espindula (PTB), autor da iniciativa, a ideia é mobilizar as pessoas em favor da saúde mental. “O assunto ainda é pouco discutido pela sociedade, e através da Campanha de Estímulo ao Cuidado da Saúde Mental ‘Janeiro Branco’, pretendemos difundir e conscientizar a sociedade do Espírito Santo acerca da importância deste tema”, esclarece.

O assunto demanda mesmo atenção. Estudo publicado no periódico científico The Lancet, em 2021, aponta um aumento de 28% nos casos de depressão e de 26% nos casos de ansiedade no mundo durante o ano de 2020.

Desabamento: Ales homenageia bombeiros
Ato foi em reconhecimento à equipe que, por 20 horas, trabalhou no resgate de vítimas de acidente ocorrido em Vila Velha, em abril
Cariacica debate violência infantojuvenil
Foi proposto que municípios incluam em seus orçamentos recursos para construir rede integrada de atendimento
Janete cobra combate a homicídios de mulheres
Deputada mostrou preocupação quanto às mortes violentas de mulheres no município de Vila Velha e conclamou diversos segmentos a se unirem contra a violência de gêner...
Trabalho do Núcleo Otacílio Coser em pauta
Carlos Ajur, que coordena setor da Ales responsável por orientar organizações do terceiro setor, participou de reunião da Comissão de Saúde nesta manhã
Desabamento: Ales homenageia bombeiros
Ato foi em reconhecimento à equipe que, por 20 horas, trabalhou no resgate de vítimas de acidente ocorrido em Vila Velha, em abril
Cariacica debate violência infantojuvenil
Foi proposto que municípios incluam em seus orçamentos recursos para construir rede integrada de atendimento
Janete cobra combate a homicídios de mulheres
Deputada mostrou preocupação quanto às mortes violentas de mulheres no município de Vila Velha e conclamou diversos segmentos a se unirem contra a violência de gêner...