Iriny quer mais meninas em olimpíadas científicas

Parlamentar propõe que a Assembleia Legislativa crie prêmio para incentivar a participação de alunas de escolas públicas

Por Patrícia Bravin, com edição de Angèle Murad

Meninas segura medalha de prata nas mãos
Iriny justifica que meninas são apenas 10% dos estudantes premiados em competições nacionais / Foto: Arquivo Prefeitura de Russas/CE

Reconhecer a participação de estudantes de escolas de ensino básico em olimpíadas científicas é o objetivo do Projeto de Resolução (PR) 30/2021, de iniciativa da deputada Iriny Lopes (PT). Ela propõe a criação do Prêmio Meninas Olímpicas, a ser concedido pela Assembleia Legislativa (Ales) às estudantes capixabas de escolas públicas que participarem de olimpíadas científicas, especialmente as indígenas e afrodescentes. 

Pela proposta, o prêmio será concedido em três níveis, que vão do 6º ano do ensino fundamental até o ensino médio. A premiação consistirá na entrega de um diploma contendo o brasão da Assembleia Legislativa do Estado a duas meninas em cada nível, sendo pelo menos uma afrodescendente ou indígena.

Mais mulheres no mercado

De acordo com a autora da proposição, as olimpíadas científicas têm o objetivo de incentivar e encontrar talentos nas diversas áreas de conhecimento.

A premiação deve ser inspirada no Movimento Meninas Olímpicas,  fundado pelas irmãs Natália e Mariana Bigolin Groff, que, juntas, somam mais de 60 medalhas em olimpíadas de conhecimento nacionais e internacionais. A coordenação do movimento é da professora Nara Martini Bigolin da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

“O incentivo à participação de meninas em olimpíadas científicas permitirá elevar esse percentual e, como consequência, aumentar a participação das mulheres em pontos estratégicos da sociedade, criando, assim, um equilíbrio entre os gêneros no Brasil. Segundo o Movimento Meninas Olímpicas, apenas 10% de meninas são premiadas nas principais olimpíadas científicas do Brasil e menos de 5% nas olimpíadas internacionais. Este é também o percentual de mulheres eleitas, mulheres presidentes de grandes empresas e pesquisadoras em centros de pesquisa de excelência”, justifica Iriny.

Outro dado apontado pela parlamentar é da ONU, segundo o qual, dentre os 144 países avaliados quanto à igualdade de salários entre gêneros, o Brasil ocupa a 129ª posição, abaixo de países como Irã, Iêmen e Arábia Saudita, conhecidos pelos direitos restritos das mulheres. “Trazendo essa reflexão para o meio olímpico, é notável a predominância masculina entre participantes e premiados, especialmente nas ciências exatas”, pontua.

Tramitação

O PR 30/2021 foi lido na sessão ordinária do último dia 6 de dezembro e encaminhado para análise das comissões de Justiça, Desporto e Finanças. A autora apresentou requerimento para que a matéria tramite em urgência. 

Deputados: Iriny Lopes
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular
Deputado alerta para uso responsável de auxílio
Majeski criticou oferta de crédito consignado para o Auxílio Brasil e lembrou os altos juros cobrados nos empréstimos
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular