Documentário sobre jequitibá é apresentado na Ales

Produção apresentada ao colegiado de Educação mostra como árvore centenária virou símbolo da comunidade de Ponto Alto, em Domingos Martins

Por Silvia Magna, com edição de Nicolle Expósito

Deputados sentados à mesa de trabalhos em plenário da Assembleia
Comissão também aprovou agenda de audiências públicas para 2022 / Foto: Lucas S. Costa

Uma das maiores árvores da Mata Atlântica, o jequitibá, foi tema de um documentário apresentado à Comissão de Educação durante reunião que aconteceu no Plenário Rui Barbosa, nesta segunda-feira (29). O material faz parte de um trabalho de língua portuguesa realizado por alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Ponto do Alto, em Domingos Martins, e retrata a derrubada da árvore, símbolo da comunidade de Ponto Alto, que fica na região de Paraju.

A produção mostra como a árvore que estampa o brasão de Ponto Alto tornou-se símbolo da comunidade, fundada por imigrantes alemães em 1934. O filme explica que a espécie foi poupada por não servir para trabalhos de serraria. Por isso, a única árvore do local, localizada no ponto mais elevado do futuro povoado permaneceu como uma referência para os moradores e para os que chegavam à localidade.

Fotos da reunião da Comissão de Educação

O jequitibá de Ponto Alto também guarda um mistério. Há alguns anos, segundo o documentário, a árvore começou a morrer sem que ninguém soubesse os motivos. Em agosto deste ano, o “gigante de Ponto Alto”, como ficou conhecido, foi derrubado diante da população comovida.

“Este trabalho mostra o talento dos estudantes sobre uma árvore que foi testemunha de vários acontecimentos na nossa comunidade. É o protagonismo juvenil presente a partir de uma equipe engajada”, explicou o diretor da escola, Marcelo Ribett.

“É essencial incentivar a criatividade dos nossos estudantes, principalmente quando envolve o amor pelos seus. Eu quero ir lá em Ponto Alto plantar outro jequitibá com os moradores, já está confirmado”, disse o presidente do colegiado, deputado Bruno Lamas (PSB).

Audiências públicas

A comissão aprovou quatro audiências públicas para o início de 2022. Na pauta dos debates estão a situação dos profissionais de educação com a implantação do novo Ensino Médio em tempo integral, o piso salarial dos professores aposentados, a municipalização das escolas estaduais e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 3/2021, apelidada pelo autor, deputado Bruno Lamas, de “PEC dos Pedagogos”. A proposta debate o direito de pedagogos acumularem cargos de natureza técnico-pedagógica no ensino público, nas redes municipal e estadual.

As audiências públicas ainda não têm datas confirmadas, mas Lamas quer que o debate seja realizado no início das atividades parlamentares do próximo ano. “Vamos continuar debatendo esses assuntos até que todos sejam ouvidos e os melhores caminhos para a educação pública do Espírito Santo sejam encontrados”, disse.

Participaram da reunião os deputados Coronel Alexandre Quintino (PSL), Sergio Majeski e Dary Pagung (ambos do PSB). 

Comissões: Educação
PL garante alimento a estudantes nas férias
Itens da merenda escolar deverão ser entregues na forma de cesta básica, prevê projeto
Deputados: chuvas pedem ações contínuas
Parlamentares frisaram a necessidade de ações permanentes e de cuidados com o meio ambiente para prevenir os impactos decorrentes das chuvas
Ales aprova calamidade pública em município
Deputados se reuniram extraordinariamente para aprovar projeto que reconhece o estado de calamidade em São José do Calçado
Janete propõe comenda para associativismo
Iniciativa pretende homenagear empresários e empreendedores que trabalham de forma colaborativa em torno do interesse comum
PL garante alimento a estudantes nas férias
Itens da merenda escolar deverão ser entregues na forma de cesta básica, prevê projeto
Deputados: chuvas pedem ações contínuas
Parlamentares frisaram a necessidade de ações permanentes e de cuidados com o meio ambiente para prevenir os impactos decorrentes das chuvas
Ales aprova calamidade pública em município
Deputados se reuniram extraordinariamente para aprovar projeto que reconhece o estado de calamidade em São José do Calçado