Audiência vai debater retrocessos no combate ao racismo

Queda nos investimentos em políticas públicas e aumento da violência contra negros estão entre os temas a serem discutidos em evento da Comissão de Cidadania

Por João Caetano Vargas, com edição de Angèle Murad | Atualizado há 12 dias

Negro
Debate será nesta quinta-feira, às 14 horas / Foto: Arquivo Agência Brasil

De acordo com relatório divulgado pela Consultoria Legislativa e pela Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados, o investimento em políticas públicas voltadas para as comunidades quilombolas do país caíram de R$ 26 milhões em 2014 para R$ 6 milhões em 2020. Para discutir esse e outros retrocessos das políticas de promoção da igualdade racial no Brasil, a Comissão de Cidadania da Assembleia Legislativa (Ales) realiza audiência pública virtual nesta quinta-feira (25), às 14 horas, com transmissão ao vivo pela TV Assembleia e Youtube

O estudo foi solicitado pelo deputado federal e ex-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, Helder Salomão (PT-ES), que é um dos convidados e idealizadores da reunião proposta pela deputada estadual Iriny Lopes (PT). Também participam da audiência a secretária de Estado de Direitos Humanos (SEDH), Nara Borgo; a vereadora de Vitória Karla Coser (PT) e demais autoridades e especialistas no assunto.

Violência

O relatório também demonstra dados do Atlas da Violência 2020. O documento aponta que, na última década, o assassinato de pessoas negras no país subiu 11,5%, enquanto o percentual de pessoas não negras caiu 12,9%. A deputada Iriny Lopes chama atenção especialmente para o aumento dos casos de feminicídio no país. A parlamentar lamenta que as mulheres negras sejam as principais vítimas desse e de outros tipos de violência.

“As mulheres e especialmente as negras são não só as principais vítimas de feminicídio, mas elas e seus filhos passam por outras violências como o desemprego, a desigualdade salarial, a falta de acesso à educação, a saúde e a fome, que atinge mais de 20 milhões de pessoas. Portanto, debater o racismo, a violência contra a mulher, o quanto a ausência dessas políticas impactam mais ainda a vida dessas pessoas e como alterar essa situação é urgente”, afirma Iriny.

Investimentos

Outro grande retrocesso apontado no levantamento foi o investimento destinado à Fundação Cultural Palmares, criada pelo governo federal em 1988, com o objetivo de promover e preservar os valores culturais, históricos, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira. Em menos de uma década a instituição viu o seu orçamento cair de R$ 6,5 milhões em 2012 para R$ 837 mil em 2019.

“O governo federal tem, sistematicamente, acabado com políticas sociais. O ministério comandado por Damares Alves (Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) retirou do orçamento praticamente todos os recursos destinados ao combate ao racismo e à rede de enfrentamento à violência contra a mulher, reduzindo a participação feminina à família. Ou seja, um retrocesso de mais de 50 anos”, conclui a deputada.

Comissões: Cidadania
Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica
Novo Carmélia promete reforçar área cultural
Revitalização do teatro é um dos destaques do projeto de reforma, apresentado à Comissão de Cultura da Assembleia
Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica