Proibição de radar oculto passa a valer no ES

Entrou em vigor a lei que só permite, nas vias urbanas e rodovias estaduais, instrumentos eletrônicos luminosos para medir velocidade

Por Silvia Magna, com edição de Angèle Murad | Atualizado há 19 dias

Moto, caminhão e carros em pista de asfalto
Proposta havia sido vetada pelo governador, mas o Plenário da Ales derrubou o impedimento / Foto: Luca S. Costa

A partir de agora, só é permitida a instalação de radares luminosos para a medição de velocidade no Espírito Santo, nas vias urbanas e rodovias estaduais. Trata-se da Lei Estadual 11.452/2021, publicada nesta terça-feira (16), no Diário Oficial do Estado. A iniciativa é do deputado Bruno Lamas (PSB).

A nova norma também estabelece que as empresas responsáveis pela instalação e manutenção dos instrumentos realizem a troca dos radares ocultos já instalados por equipamentos que façam o registro luminoso da velocidade dos veículos em trânsito.

A Lei 11.452/2021 é oriunda do Projeto de Lei 283/2020, que foi aprovado no  dia 13 de setembro deste ano pelos deputados estaduais, mas recebeu veto total do Poder Executivo. Entretanto, o Plenário da Assembleia Legislativa derrubou, por 27 votos, o veto durante a sessão ordinária da última quarta-feira (10). 

“Os radares ocultos, os quais são encontrados com frequência nas rodovias estaduais do Espírito Santo, têm efeito arrecadatório e punitivo, não se vislumbra qualquer efeito educativo, uma vez que os motoristas são punidos com a infração de multa, e podendo serem reincidentes em tal infração, já que a multa por si só não irá permitir a função que se busca, que é a educação no trânsito. A instalação de radares ocultos denota claro objetivo arrecadatório, relegando ao segundo plano a função educativa”, afirmou Lamas.

Na derrubada do veto pesou o parecer do relator do veto na Comissão de Constituição e Justiça, deputado Gandini (Cidadania). O parlamentar disse, na ocasião, que a iniciativa leva transparência a quem trafega pelas estradas do Espírito Santo. “Existe um debate sobre a indústria da multa nos casos dos radares ocultos. A matéria trata de transparência. Discordo respeitosamente da Procuradoria-Geral do Estado. Por isso, o parecer será pela derrubada desse veto, já que entendemos que a matéria é constitucional”, justificou Gandini.

Deputados: Gandini
Impasse em obra na BR-101 é pauta em comissão
Construção de contorno em área de reserva ambiental no trecho norte da rodovia foi um dos pontos na pauta da reunião do colegiado que trata do tema na Ales
Grande Vitória: comissão debate mobilidade
Esgotamento da Terceira Ponte e alternativa para o tráfego entre Vila Velha e Vitória foram discutidos em reunião da Comissão de Fiscalização da Rodosol
Iriny é a entrevistada do Com a Palavra desta sexta
Relatora da Lei Maria da Penha no Congresso Nacional, deputada estadual fala dos direitos das mulheres e das minorias no programa da TV Assembleia
Saneamento na Grande Terra Vermelha em debate
Moradores de região de Vila Velha obtiveram a garantia da Cesan de que não arcarão com os custos de ligação do esgoto doméstico à rede coletora
Impasse em obra na BR-101 é pauta em comissão
Construção de contorno em área de reserva ambiental no trecho norte da rodovia foi um dos pontos na pauta da reunião do colegiado que trata do tema na Ales
Grande Vitória: comissão debate mobilidade
Esgotamento da Terceira Ponte e alternativa para o tráfego entre Vila Velha e Vitória foram discutidos em reunião da Comissão de Fiscalização da Rodosol
Iriny é a entrevistada do Com a Palavra desta sexta
Relatora da Lei Maria da Penha no Congresso Nacional, deputada estadual fala dos direitos das mulheres e das minorias no programa da TV Assembleia