Executivo quer criar polícia penal no ES

Órgão de segurança pública será responsável pela custódia e vigilância de presos; PEC pretende adequar Constituição estadual à legislação federal

Por Gleyson Tete, com edição de Nicolle Expósito

Inspetora penitenciária aparece de costas com camisa preta onde está inscrita a palavra inspetor
Conforme texto, cargo de inspetor penitenciário será transformado em policial penal / Foto: Tati Beling/Arquivo Ales

O governo do Estado encaminhou para a Assembleia Legislativa (Ales) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 7/2021, que modifica a Constituição Estadual para instituir a Polícia Penal, encarregada da segurança dos estabelecimentos penais capixabas. Por ter o mesmo propósito, a iniciativa foi juntada à PEC 32/2019

Segundo a mensagem governamental, a PEC tem a finalidade de estabelecer consonância com a Lei Federal 13.675/2018, que determina as diretrizes da Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS), e com as alterações feitas na Constituição Federal (CF), que criaram a figura da polícia penal. “Vão prestar, dentre outros, serviços públicos essenciais de custódia e vigilância de presos”, ressalta Renato Casagrande (PSB).

A proposição inclui a nova categoria entre os órgãos da administração pública responsáveis pela segurança pública e reforça a subordinação das forças ao chefe do Executivo estadual e vinculação à Secretaria de Estado que cuida do sistema prisional. Tanto o Estatuto quanto a Lei Orgânica dos policiais penais só poderão ser objeto por meio de lei complementar.

Outro ponto da matéria deixa claro que o exercício do cargo de policial penal é privativo de servidor de carreira, recrutado exclusivamente por concurso público de provas ou de provas e títulos. Além disso, que vai ocorrer a transformação do atual cargo de inspetor penitenciário para esse novo.

De acordo com o portal da Transparência do governo do Estado, atualmente estão ativos 3.255 inspetores penitenciários na Secretaria de Estado da Justiça (Sejus). Desses, 1.921 são efetivos e outros 1.334 são de designação temporária (DTs).

Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica
Novo Carmélia promete reforçar área cultural
Revitalização do teatro é um dos destaques do projeto de reforma, apresentado à Comissão de Cultura da Assembleia
Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica