Iniciativa tenta barrar restrição a não vacinado

Projeto busca sustar portaria da Secretaria de Estado da Saúde que proíbe o exercício de atividades por profissional da pasta que não tomar a vacina contra Covid

Por Wanderley Araújo, com edição de Angèle Murad

Fachada de prédio de hospital
Medida do governo abrange servidores públicos efetivos, comissionados e temporários, entre outros / Foto: Lucas S. Costa

As comissões de Justiça, Saúde e Finanças vão analisar o Projeto de Decreto Legislativo 50/2021, que visa sustar os efeitos da Portaria 016-R, iniciativa do Poder Executivo para impedir que servidores públicos não vacinados contra a Covid-19 exerçam atividades no âmbito da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). O PDL é de autoria do deputado Torino Marques (PSL).

A portaria, assinada pelo titular da Sesa, Nésio Fernandes, determina que somente podem permanecer nos estabelecimentos de saúde os profissionais imunizados contra o novo coronavírus.

Diz ainda a portaria que os profissionais que deixarem de exercer suas atividades devido à falta de vacinação terão descontados dos seus vencimentos os dias não trabalhados.

A medida do governo estadual alcança os servidores públicos, efetivos ou comissionados; os servidores temporários; os residentes/bolsistas e os empregados de fundação estadual. 

No PDL, o parlamentar argumenta que o teor contido na portaria é “flagrantemente inconstitucional”, pois, segundo ele, traz vedações e penalidades que ferem princípios constitucionais, direitos e garantias fundamentais. Torino Marques sustenta ainda no texto da iniciativa que a portaria foi baixada sem que houvesse lei estadual na qual se amparasse. 

De acordo com o deputado, o princípio da legalidade constitui uma das garantias fundamentais do cidadão contra o poder “arbitrário” dos governantes. Ele cita também que o artigo 37 da Constituição Federal determina a obediência da dministração pública direta, indireta ou fundacional, de qualquer dos poderes do Estado, aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, razoabilidade, publicidade, finalidade, motivação e interesse público. Requisitos esses que não estariam sendo observados, conforme sua interpretação, na portaria baixada por Nésio Fernandes. 

Deputados: Torino Marques
Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica
Novo Carmélia promete reforçar área cultural
Revitalização do teatro é um dos destaques do projeto de reforma, apresentado à Comissão de Cultura da Assembleia
Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica