Evento destaca demandas e conquistas dos surdos

Sessão especial reuniu representantes de várias entidades e lembrou do Setembro Azul, mês dedicado à visibilidade da comunidade surda brasileira

Por Aldo Aldesco, com edição de Angèle Murad

Pessoas sentadas e de costas no Plenário; no fundo bandeira da comunidade surda em mesa
Foto: Lucas S. Costa

O trabalho das entidades que congregam pessoas surdas no Espírito Santo e o apoio que vêm recebendo de órgãos públicos e privados no estado foram relatados em sessão especial realizada na noite de quinta-feira (30), no Plenário Dirceu Cardoso da Assembleia Legislativa (Ales). 

O evento ocorreu para lembrar o Setembro Azul. Nesse mês, é celebrado no país o Dia Nacional do Surdo (26 de setembro), data da fundação da Escola Nacional de Educação de Surdos (Ines), em 1857, no Rio de Janeiro, pelo educador francês E. Huet, que também era surdo. No Espírito Santo, existem 170 mil pessoas com algum grau de surdez, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Comunicação

O proponente da sessão especial, Doutor Hércules (MDB), relatou as suas atividades de seu mandato em prol dos surdos no estado e reforçou o compromisso de luta por melhores espaços de atuação para essas pessoas. 

O procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT) Valério Soares Heringer destacou que a comunicação dos surdos é fundamental para que exijam seus direitos. Ele falou sobre as ações do MPT, entre elas o espaço on-line chamado Reconecta, uma conferência e exposição nacional de inclusão e acessibilidade, que em 2019 reuniu mais de 11 mil participantes, presencialmente, em Vila Velha, em três dias de atividades. Em 2020, o evento foi virtual.

O procurador comentou também a importância da biblioteca virtual PCD Legal, que permite acesso às pessoas com deficiência, inclusive os surdos. O órgão também edita uma revista em quadrinhos, a “MPT em Quadrinhos”, que já está em sua 60ª edição.    

Álbum de fotos do evento 

Demandas

Luana dos Reis Guss, que é surda e representou os educadores dessas pessoas no Espírito Santo, disse que tem lutado para que sejam contratados professores para o ensino aos surdos na rede escolar. Ela citou também algumas conquistas, como o ingresso no Ifes e mais espaços dentro da sociedade. 

O presidente da Federação Desportiva dos Surdos do Espírito Santo (FDSES), Evandro Telles de Oliveira Filho, falou sobre as atividades realizadas pela entidade, incluindo competições locais e federais. 

Telles criticou a Secretaria de Educação (Sedu) pelo apoio insuficiente que tem dado para a comunidade e apelou para a volta do Espaço Caes (Centro de Apoio e Ensino aos Surdos), fechado pela secretaria e considerado um local importante para os surdos. “Os surdos precisam desse espaço, onde tinha aulas de português e oficina”, explicou Telles. 

Mesa

Na mesa, acompanhando o deputado Doutor Hércules, que conduziu os trabalhos da sessão, estavam presentes as seguintes pessoas: o subsecretário estadual de Promoção, Proteção e Defesa dos Direitos Humanos, Wilton Pires Júnior (Júnior Bola); a subsecretária estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, Sandra Shirley de Almeida; a pró-reitora de Ensino da Ufes, Adriana Pionttkovsky Barcellos; 
o representante da Secretaria de Estado de Direitos Humanos (SDH), Júlio Bola; o representante da Secretaria de Estado do Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades), Sandra Shirley; a pró-reitora de Ensino da Ufes, Adriana Pionttkovsky Barcellos; o frei Alessandro Dias Nascimento do Convento da Penha; e o presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Luiz Anhaia Vasconcelos.

Também compuseram a Mesa representantes das associações dos surdos do Espírito Santo (Alberto Oliveira Leite), da Associação de Pais de Surdos e Outras Deficiências (José Onofre de Souza), da Associação dos Profissionais Intérpretes de Libras do Estado do Espírito Santo (Leandro Alves Wanzeler) do Fórum de Debate com Pessoas com Deficiência (Rosilda Dias). Participaram ainda o apoiador da causa Luiz Carlos de Paula Brito; a vereadora de Vila Velha Sabrina Leonel; e o presidente da Câmara Municipal de Vitória, vereador Davi Esmael.

Data

Em 30 de setembro celebra-se o Dia Internacional dos Surdos, rememorando uma decisão adversa à comunidade surda. Naquele mês de setembro de 1880, o Congresso Internacional de Educação de Surdos, em Milão, recomendou a forma oral no lugar da forma de sinais como a linguagem mais apropriada para a educação de surdos no mundo. 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registrou, no censo de 2010, a existência de 10 milhões de pessoas (20% do total das pessoas com deficiência) com algum nível de surdez. Entre eles, aproximadamente 3 milhões têm nível de surdez considerado severo. No Espírito Santo, são 170 mil pessoas com algum grau de surdez.
 

Deputados: Doutor Hércules
Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica
Novo Carmélia promete reforçar área cultural
Revitalização do teatro é um dos destaques do projeto de reforma, apresentado à Comissão de Cultura da Assembleia
Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica