Procon Assembleia fará fiscalização no comércio

Aprovado pelo Plenário nesta quarta-feira, projeto de resolução amplia a atuação do órgão de defesa do consumidor

Por Gabriela Zorzal, com edição de Angèle Murad

Pessoas de máscara em loja de roupas
Caberá ao Procon Assembleia definir a periodicidade das visitas / Foto: Lucas S. Costa

Com atuação mais abrangente, o Procon Assembleia vai poder fazer visitas e notificar os órgãos competentes para a adoção de medidas legais, quando forem encontradas irregularidades. A nova atribuição foi incluída a partir da aprovação do Projeto de Resolução (PR) 19/2021, durante a sessão ordinária híbrida desta quarta-feira (22). O PR foi analisado, preliminarmente, pelas comissões de Justiça, Defesa do Consumidor, Cidadania e Finanças.

A matéria altera a norma que criou o núcleo na Casa, a Resolução 2.555/2008, e é assinada por Luiz Durão (PDT), Vandinho Leite (PSDB) e Mesa Diretora. A proposição foi aprovada com uma emenda, apresentada pelo deputado Dr. Emílio Mameri (PSDB).

A emenda acrescentou ao texto inicial que a notificação, em caso de irregularidade, será feita aos órgãos competentes para adoção de medidas administrativas legais. Outra mudança é na frequência das visitas, prevista no texto anterior a cada três meses. Pela emenda apresentada por Mameri e aprovada, o próprio núcleo poderá definir a periodicidade da ação.

No Diário do Poder Legislativo desta quinta-feira (23), foi publicada a Resolução 7.101/2021, com a mudança.

Álbum de fotos da sessão ordinária

Cultura 

Os deputados discutiram, na sessão, proposta do Executivo que facilita a transferência de recursos para fortalecer políticas públicas municipais voltadas para a cultura. O Projeto de Lei Complementar (PLC) 22/2021 foi aprovado pelas comissões de Justiça e Finanças, mas permanece em pauta aguardando análise do colegiado de Cultura, já que a deputada Iriny Lopes (PT) utilizou do prazo regimental para apresentar o parecer. 

A proposta do PLC é facilitar a transferência de recursos para os municípios por meio do Fundo de Cultura do Estado (Funcultura), além de normatizar a prestação de contas dos recursos recebidos. 

Durante a discussão, o deputado Rafael Favatto (Patri) avaliou a medida como um acerto ao reduzir a burocracia. “Em muitos casos, os projetos na área da cultura, sobretudo em municípios pequenos, não exigem um grande volume de verba e a burocracia para ter acesso a esses recursos é enorme. O governo acerta ao facilitar esse processo”, disse.

Já o deputado Bruno Lamas (PSB) reforçou a importância de fortalecer as políticas públicas locais. “Um povo sem cultura é um povo sem história. Esse projeto mostra que o governo do Estado tem uma visão municipalista, entendendo a importância de fortalecer os municípios”, disse.

Veto

O Plenário manteve veto parcial do governo do Estado a trecho do PLC 18/2021, matéria de autoria do próprio Executivo sobre o sistema de promoção de praças e oficiais de administração da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) e do Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo (CBMES). 

Pela lei anterior, cabos da PM deviam esperar a abertura de 30 vagas para a graduação de 3º sargento para que fosse iniciado um novo processo seletivo para o Curso de Habilitação de Sargento (CHS). O PLC aprovado deu origem à Lei Complementar 975/2021, mudando a exigência e igualando o número de vagas ao que vigora na carreira dos cabos militares dos bombeiros. Assim, o cabo precisa esperar a existência de dez vagas ao cargo de sargento para que seja aberto novo processo seletivo para o CHS.

A matéria foi aprovada no mês de agosto com emenda, justamente o trecho vetado pelo Executivo. A alteração fazia uma reserva de vagas para 2021 de modo a contemplar militares da PM que não puderam participar devido ao limite de quantidade de alunos. 

“Essa foi uma emenda apresentada por nós durante a tramitação da matéria na Casa e a decisão do veto tem como base um novo projeto que o governo do Estado já está prestes a encaminhar ao Legislativo”, explicou o deputado Dary Pagung (PSB). O veto foi mantido por 24 votos e não recebeu votos contrários. 

Como ficou a pauta de votação

  • Projeto de Resolução 19/2021, de Luiz Durão, Vandinho Leite e da Mesa Diretora,  alterando a Resolução 2.555/2008, que criou o Procon Assembleia. Aprovado.
  • Projeto de Lei Complementar 22/2021, do Executivo, alterando a Lei Complementar 458/2008, que dispõe sobre a criação do Fundo de Cultura do Estado do Espírito Santo (Funcultura). Prazo regimental na Comissão de Cultura
  • Projeto de Lei Complementar 18/2021, do Executivo, alterando a Lei Complementar 911/2019, sobre as promoções dos oficiais de administração e dos praças militares.  Veto parcial mantido.

Novos projetos

Com a leitura durante a sessão, novos projetos começaram a tramitar na Ales. O PLC 26/2021, de autoria do governo do Estado, trata de forma excepcional os afastamentos de servidores por motivo de contaminação por Covid-19 para o ciclo 2021 da Bonificação por Desempenho da Secretaria de Estado de Educação (Sedu). O principal objetivo da matéria é evitar que os afastamentos de saúde, no contexto da pandemia, impactem no direito ao bônus desempenho. A matéria será analisada pelas comissões de Justiça, Cidadania, Saúde e Finanças.

Entre os novos projetos de autoria parlamentar está o PL 568/2021, do deputado Carlos Von (Avante), com penalidades administrativas para os infratores condenados por sentença penal transitada em julgado por furto de materiais feitos de cobre ou outros metais em edifícios públicos. O projeto vai receber parecer das comissões de Justiça, Segurança e Finanças.

Outra matéria, também assinada por Von, é o PLC 27/2021 que regulamenta a gratuidade para acompanhante de pessoa com deficiência no sistema de transporte rodoviário intermunicipal de passageiros do Espírito Santo. Para isso, a matéria altera a Lei Complementar 971/2021. De acordo com o despacho da presidência, o PL será estudado pelos comissões de Justiça, Mobilidade Urbana, Cidadania e Finanças. 

Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica
Novo Carmélia promete reforçar área cultural
Revitalização do teatro é um dos destaques do projeto de reforma, apresentado à Comissão de Cultura da Assembleia
Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica