Ônibus: PLC torna clara regra sobre gratuidade

Segundo o governo do Estado, o objetivo do projeto de lei complementar é assegurar maior segurança jurídica

Por João Caetano Vargas, com edição de Angèle Murad | Atualizado há 1 mês

Mulher idosa em pé, próximo à catraca de ônibus
Proposta do Executivo altera duas leis complementares sobre transporte coletivo / Foto: Isabela Carrari/Arquivo Prefeitura Santos

Com o objetivo de tornar mais claras as regras para acesso à gratuidade no transporte coletivo intermunicipal, o governo do Estado encaminhou o Projeto de Lei Complementar (PLC) 24/2021 à Assembleia Legislativa (Ales). A proposta altera a legislação vigente, que regulamentou o benefício garantido a idosos, crianças e pessoas com deficiência, para assegurar maior segurança jurídica aos órgãos competentes.  

Ao alterar o artigo 1º da Lei Complementar (LC) 971/2021, a matéria define para o acesso ao benefício os idosos, como pessoas com 65 anos ou mais, e crianças, como menores de seis anos. Para as crianças, a proposta normatiza que a gratuidade estará condicionada ao não uso de um assento disponível para comercialização da empresa, ou seja, ela deverá viajar no colo do responsável para ter acesso ao benefício.

O PLC 24/2021 estabelece ainda que deverão ser reservadas duas vagas para os idosos e duas para pessoas com deficiência em cada veículo do serviço convencional, ou de outros serviços, na ausência do transporte convencional na ocasião da viagem, conforme já é definido pela lei. A matéria autoriza também a comercialização das vagas que não forem reservadas ou utilizadas pelos beneficiários.

Fretamento e turismo

A LC 877/2017, que estabelece a Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb-ES) e transfere a ela a gestão do transporte coletivo intermunicipal de passageiros, também é alterada pela proposta encaminhada pelo governo. O texto passa a definir como modalidade de fretamento ou turismo “o serviço prestado à pessoa ou a um grupo de pessoas em caráter ocasional, em circuito fechado, com emissão de nota fiscal e lista de pessoas transportadas, por viagem, com prévia autorização ou licença da CETURB/ES”.

Para essa modalidade o projeto estabelece que fica proibida a venda de passagens e emissões de passagens individuais, a captação ou o desembarque de passageiros no itinerário. Proíbe também a utilização de terminais rodoviários nos pontos extremos e no percurso da viagem, além do transporte de encomendas ou mercadorias que caracterizem a prática de comércio.

Na mensagem encaminhada pelo Executivo para a apreciação dos parlamentares, o governo justifica que o PLC tem o objetivo de trazer harmonia para a legislação vigente. 

“Com intuito de melhorar a harmonia do texto legal, entendemos necessidade de inserção de outros dispositivos, que irão conferir maior clareza e orientação aos atos normativos que irão disciplinar a aplicação da Lei, bem como contribuirá para a precisa definição do conceito de transporte autorizado”, conclui.

Tramitação

O PLC será analisado pelas comissões de Justiça, Cidadania, Mobilidade Urbana e Finanças. 

Ales promove homenagem a servidores
Apresentação cultural, sessão solene e sorteio de brindes fazem parte da programação em reconhecimento ao trabalho realizado pelos servidores públicos
Plenário faz extra para votar remuneração de professor
Também na pauta estão outros dois projetos do Executivo, sobre limite de municípios e atuação da Procuradoria-Geral do Estado junto à Junta Comercial
Magistério deve ter nova tabela remuneratória
Proposta do Executivo também traz mudanças na lei que trata da progressão de profissionais da educação
Fundo Cidades: Ales sinaliza apoio a municípios
Para o vice-presidente da Amunes, prefeito Luciano Pingo, repasse fundo a fundo torna mais rápida transferência de recursos necessários para demandas municipais
Ales promove homenagem a servidores
Apresentação cultural, sessão solene e sorteio de brindes fazem parte da programação em reconhecimento ao trabalho realizado pelos servidores públicos
Plenário faz extra para votar remuneração de professor
Também na pauta estão outros dois projetos do Executivo, sobre limite de municípios e atuação da Procuradoria-Geral do Estado junto à Junta Comercial
Magistério deve ter nova tabela remuneratória
Proposta do Executivo também traz mudanças na lei que trata da progressão de profissionais da educação