Seis projetos começam a tramitar em urgência

Prioridade em tramitação é para iniciativas que tratam de distribuição de royalties para fundos públicos, radares, direito do consumidor e normas internas da Ales

Por Gleyson Tete, com informações de Gabriela Zorzal e edição de Nicolle Expósito

Deputados reunidos no Plenário Dirceu Cardoso
Sessão acontece em formato híbrido, com participação presencial e remota de parlamentares / Foto: Ellen Campanharo

Seis requerimentos de urgência foram acatados na sessão ordinária híbrida da Assembleia Legislativa (Ales) desta segunda-feira (31). Um deles para o Projeto de Lei Complementar (PLC) 02/2021, do Executivo, que retorna com parte dos recursos arrecadados com royalties do petróleo e gás natural para os fundos estaduais de Recursos Hídricos (Fundágua) e de Proteção e Defesa Civil (Funpdec/ES).

Tais recursos eram destinados aos fundos antes da pandemia do novo coronavírus, mas os repasses foram revogados em março do ano passado pela Lei Complementar (LC) 947/2020, que converteu verba de 25 fundos públicos para o caixa do Tesouro Estadual sob o pretexto de fortalecer as ações do Executivo diante da emergência em saúde pública.

A nova mudança retorna com 3% do arrecadado com royalties para cada um dos dois fundos e altera duas legislações vigentes: a Lei 9.866/2012 e a LC 694/2013. A primeira foi responsável por uma reformulação do Fundágua, criado em 2008; já a segunda reorganizou o Sistema Estadual de Proteção da Defesa Civil (Siepdec-ES).

Tramita em anexo ao projeto o PLC 32/2020, do deputado Sergio Majeski (PSB), que prevê o restabelecimento dos repasses para o Fundágua após o fim da vigência do estado de calamidade pública decretado pelo governo do Estado.

Confira os registros fotográficos da sessão

Radares

Os outros cinco pedidos de urgência aprovados aceleram a tramitação de iniciativas de origem parlamentar. Como o Projeto de Lei (PL) 283/2020, de Bruno Lamas (PSB), que institui a instalação, nas vias urbanas e rodovias estaduais do Espírito Santo, de instrumentos eletrônicos luminosos de medição de velocidade.

Durante a sessão o parlamentar se manifestou a respeito da proposição. “Radar oculto é o que fica escondido e só serve para multar e punir o motorista. Não estou defendendo a retirada. O radar para cumprir o princípio da transparência e funcionar como ele é pensado tem que dar o direito ao motorista de ver a velocidade que ele está passando. A fiscalização é feita da mesma forma, a velocidade é controlada, porém, exercendo o princípio da transparência”, argumentou.

Dívidas

Já o PL 217/2021, de Luiz Durão (PDT), estabelece que no Estado a cobrança de dívidas terá que ser feita com a apresentação dos respectivos valores aos consumidores de forma clara e detalhada. Eles deverão conhecer o que estão pagando em relação a juros, multas, taxas, custas, honorários, entre outros valores que compuserem o total da dívida.

Resoluções

Por fim, vão tramitar como urgência três projetos de resolução (PRs). O 11/2021, da Mesa Diretora, altera a Resolução 6.934/2021, que criou o Núcleo do Terceiro Setor “Otacílio Coser”, mudando o nome para “Núcleo Otacílio Coser de apoio às Organizações da Sociedade Civil”. Também retira a subordinação do setor da Comissão de Assistência Social e passa para a Mesa.

Os PRs 8 e 9/21 são de autoria da deputada Janete de Sá (PMN). Eles modificam as Resoluções 1.390 e 1.391/1984, que tratam da criação e regulamentação da Comenda Domingos Martins, maior honraria concedida pelo Poder Legislativo estadual. A ideia é que o proponente da comenda ao homenageado possa assinar o diploma de concessão. Atualmente, assinam o presidente da Ales, e os 1º e 2º secretários.

Com a aprovação dos seis requerimentos, as propostas agora estão aptas a fazer parte da pauta da Ordem do Dia da próxima sessão.

Novos projetos

Oito novas proposições foram lidas no Expediente para simples despacho e começaram a tramitar na Casa. Destaque para o Projeto de Lei (PL) 220/2021, do Dr. Rafael Favatto (Patri), que acrescenta a contagem do nível sérico da Vitamina B12 ao exame de hemograma realizado no Estado. A matéria foi encaminhada para as comissões de Justiça, Saúde e Finanças.

Também foi lido um veto total do governador Renato Casagrande (PSB) ao PL 696/2019, de Torino Marques (PSL), que declara o Forró de Itaúnas patrimônio artístico e cultural imaterial do Espírito Santo. O veto será analisado pelo colegiado de Justiça.

O autor da iniciativa se manifestou na sessão sobre o veto, justificando que fez ajustes no projeto para cumprir a legalidade necessária, o que foi aprovado pela Procuradoria da Casa. “Na interpretação do Palácio Anchieta quem tem legitimidade é a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), cujo processo na sequência deve ir para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Eu peço apoio para que a Casa mantenha a aprovação e rejeite o veto do governo”, disse.

Ordem do dia

A pauta da Ordem do Dia trazia seis proposições – todas em regime de urgência –, mas nenhuma delas foi analisada. Cinco ficaram em prazo regimental nas comissões e a outra foi baixada de pauta a pedido da autora, a deputada Iriny Lopes (PT).

Confira como ficou a Ordem do Dia:
 

  • Projeto de Lei (PL) 21/2021, de Renzo Vasconcelos (PP), que institui a Política Estadual de Valorização da Vida, a ser implementada na Rede Estadual de Ensino. Prazo em Finanças;
  • Projeto de Lei (PL) 99/2021, de Iriny Lopes (PT), que dispõe sobre a criação da Lei “Jaciara da Silva - atenção e proteção” que trata do atendimento psicológico para crianças, adolescentes e jovens cujas mães foram vítimas de feminicídio no Estado do Espírito Santo. Baixado de pauta a pedido da autora;
  • Projeto de Lei (PL) 159/2021, de Iriny Lopes (PT), que veda a retenção de descontos no pagamento de recursos emergenciais ao setor cultural e a exigência de certidão negativa de débito com entes federativos nos editais do setor cultural, na forma que menciona. Prazo em Justiça;
  • Projeto de Lei (PL) 98/2021, do Dr. Rafael Favatto (Patri), que reconhece no Estado do Espírito Santo, a prática de atividades físicas e do exercício físico como essenciais para a população em estabelecimentos prestadores de serviços destinados a essa finalidade, bem como em espaços públicos em tempos de crises ocasionadas por moléstias contagiosas ou catástrofes naturais. Prazo em Justiça;
  • Projeto de Lei (PL) 204/2021, de Janete de Sá (PMN), que torna obrigatória a afixação de cartaz com telefones para denúncias de maus-tratos contra animais, nos locais e na forma específica. Prazo em Justiça;
  • Projeto de Lei (PL) 147/2021, de Renzo Vasconcelos (PP), que institui a Política Estadual de Agroecologia, Produção Orgânica e de Extrativismo Sustentável Orgânico. Prazo em Justiça
     
PL quer evitar desconto em bônus para professor
Proposta de Sergio Majeski abona todas as licenças médicas apresentadas pelos profissionais da educação 
Espindula propõe farmácia veterinária popular
Proposta quer assegurar a famílias que têm animais de estimação acesso gratuito a medicamentos veterinários 
Instalação de GPS em caminhões pode virar lei
Proposta de Iriny Lopes obriga instalação do sistema em caminhões-betoneira e caminhões limpa-fossa com objetivo de monitorar descarte de concreto e dejetos
Jubileu da Faesa é celebrado na Assembleia
Promovido por Mameri, evento teve a entrega de 33 certificados, além de placa comemorativa e da Comenda Loren Reno
PL quer evitar desconto em bônus para professor
Proposta de Sergio Majeski abona todas as licenças médicas apresentadas pelos profissionais da educação 
Espindula propõe farmácia veterinária popular
Proposta quer assegurar a famílias que têm animais de estimação acesso gratuito a medicamentos veterinários 
Instalação de GPS em caminhões pode virar lei
Proposta de Iriny Lopes obriga instalação do sistema em caminhões-betoneira e caminhões limpa-fossa com objetivo de monitorar descarte de concreto e dejetos