Maio Amarelo: direção defensiva pode salvar vidas

Diretora técnica do Detran-ES, Édina de Almeida Poleto, explica como atitudes preventivas podem ser determinantes na redução de acidentes de trânsito

Por Patricia Bravin, com edição de Nicolle Expósito

Édina de Almeida Poleto
Falta de atenção no trânsito pode ser fatal, alerta Édina Poleto / Foto: Ana Salles/ Capa: Lucas Silva

A falha humana é a causa de 90% dos acidentes de trânsito no Brasil, segundo pesquisa do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV). Os conhecimentos e a prática da direção defensiva poderiam evitar grande parte desses transtornos. Especialistas destacam a importância de o motorista e outros agentes do trânsito conhecerem as leis e as normas gerais de circulação, além da sinalização e as particularidades dos veículos.

Relatórios da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apurados entre os anos de 2017 e 2019, apontam que uma das principais causas de colisões em rodovias federais foram os defeitos mecânicos. Falhas nos freios, pneus carecas, visibilidade comprometida por falta de manutenção no limpador de para-brisa são algumas das situações. A falta de manutenção nos veículos é uma das causas evitáveis relacionadas à direção defensiva.

Nos três primeiros meses deste ano, 165 pessoas morreram em acidentes de trânsito no Espírito Santo. Desse total, 48% eram motociclistas. Os dados são do Observatório Estadual de Segurança Pública, da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp).

Para minimizar esses números o Departamento Estadual de Transito (Detran-ES) lançou a campanha Trânsito do Bem. A ideia é contribuir com a divulgação da mobilização mundial do Maio Amarelo.

A campanha chama a atenção para o trânsito como uma responsabilidade coletiva e a gentileza como fator fundamental para que um cuide do outro. “O trânsito não é feito de robôs. E você pode utilizar a gentileza mesmo estando com pressa. Cada um cuidando do outro. O objetivo é mostrar que o que você faz pelo outro, faz pra você também”, explica a diretora técnica do Detran-ES, Édina de Almeida Poleto.

A proposta, segundo Almeida, é focar a empatia e sensibilizar a comunidade de que a falta de atenção de um pode acabar com a vida de várias pessoas. Outra abordagem que ela considera importante é reforçar que muitas vezes não se trata de um acidente, mas de uma escolha errada, já que o motorista escolhe a velocidade do carro, decide se vai usar adequadamente a cadeirinha da criança, se vai afivelar o cinto de segurança ou mesmo utilizar o celular enquanto dirige.

Maio Amarelo

De acordo com informações do site oficial do Movimento Maio Amarelo, a mobilização foi criada em 11 de maio de 2011, quando a Organização das Nações Unidas (ONU) decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito. Com isso, o mês de maio se tornou referência mundial para balanço das ações que o mundo inteiro realiza. E por que amarelo? A cor simboliza atenção no semáforo e também a sinalização de advertência no trânsito.

Informações oficiais do movimento Maio Amarelo também explicam que a “intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos”.

Confira a entrevista com a diretora técnica do Detran, Édina de Almeida Poleto, sobre direção defensiva e atitudes que podem ajudar a evitar acidentes no trânsito:

O que é a direção defensiva?

Direção defensiva é agir preventivamente quanto aos riscos. É você saber que não está no trânsito sozinho e várias coisas podem acontecer. Por exemplo, um animal que pode entrar na via e você vai precisar de toda a atenção e estar pronto e preparado para agir e evitar colisão ou outro sinistro.

Quais os tipos de direção defensiva?

A direção defensiva tem dois tipos. Ela tem que ser preventiva, quando o motorista se antecipa aos fatos. Temos como exemplo a faixa de pedestre. Preventivamente, ele (o motorista) precisa se atentar que um pedestre poderá atravessar mesmo sem sinalizar. Já a prevenção corretiva é aquela que o motorista não pode se precaver, mas precisa tomar atitudes corretas diante de algum incidente. Se atropelou um pedestre, por exemplo, precisa tomar todas as medidas para minimizar, como chamar o socorro, tirar a vítima do risco de outro acidente, sinalizar a via.

Quais as orientações para o cinto de segurança?

Hoje quase todos os veículos têm o (cinto) de três pontas, mesmo sendo mais prático, ainda há muito uso incorreto, como as grávidas que colocam a faixa vertical em cima do abdome, enquanto deveriam colocá-la embaixo da barriga. Existem erros também no uso da faixa transversal. Temos casos que as pessoas passam o cinto acima e atrás do pescoço, o que pode, em vez de ajudar, piorar a situação em caso de colisão. Motoristas e passageiros precisam se atentar ao engate, o clique do cinto, para ter certeza que está afixado. Também é necessário verificar se a correia não está folgada, se tem cortes ou avarias no tecido e se a fivela está perfeita.

Quais os riscos de dirigir à noite e com chuva?

Se a chuva estiver muito forte, a ação mais prudente é parar, sinalizar e somente retomar o destino quando reduzir. O limpador de para-brisa deve estar sempre com a borracha e a mecânica perfeitas. O cuidado com a frenagem em via molhada tem que ser redobrado pois  o veículo pode aquaplanar e deslizar na pista. Quando tomar a decisão de parar por falta de visibilidade, o condutor também deve tomar cuidado com o pedestre que pode estar no acostamento. Para dirigir à noite, é importante estar descansado e ter cuidado com o sono repentino, que é um grande causador de acidentes.

Qual é a frequência de manutenção indicada para os veículos?

Na direção defensiva a recomendação é que o veículo precisa de checagem, a cada 15 dias, de alguns itens básicos como lanternas, limpadores, freios e óleo. Existem as regras de manutenções periódicas para cada veículo que o fabricante determina os prazos. É preciso estar mais atento aos veículos mais antigos, que demandam manutenção mais frequente. Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal, em 2019, tivemos no estado 12 mil acidentes por falta de manutenção do veículo, ou seja, falha mecânica. Então, a manutenção não é uma escolha. Ela é obrigação. Não tem que esperar o veículo estragar, precisa avaliar sempre.

Substâncias psicoativas: quais os efeitos delas para um condutor?

Qualquer substância psicoativa pode alterar muito o organismo do condutor, resultando em uma condução perigosa. Até mesmo um medicamento aparentemente simples pode mudar a percepção do ambiente, cognição, atenção e até o equilíbrio. A pessoa fica mais vulnerável a uma provocação de outro motorista, por exemplo. Tudo isso pode trazer consequências graves.

Se o carro quebrar, como agir preventivamente?

Todo o cuidado é importante até mesmo para o motorista sair do veículo. Tem que fazer a sinalização da pista o mais rápido que puder, com equipamento sinalizador ou galhos de árvores e, somente depois, adotar as medidas mais adequadas para retirar o veículo da pista e chamar o socorro.

Cruzamentos: quais as regras para passar por eles com segurança?

É preciso redobrar a atenção e reduzir a velocidade quando se aproximar de um cruzamento. Lembrar que, na rotatória, a preferência é de quem está circulando. Já no cruzamento sempre terá prioridade  quem está no carro que vem à direita do motorista. Então, importante é olhar para os dois lados, mesmo se o sinal estiver aberto e tiver a certeza de que está na preferencial. Consideramos que mais de 90% dos acidentes são por falha humana, o motorista deixou de fazer algo que deveria fazer por falta de observação da direção defensiva.

Sobre o Movimento Trânsito do Bem, quais as expectativas para a campanha?

O Detran adotou a temática gráfica do símbolo do joinha. Queremos um trânsito do bem, que seja de respeito e responsabilidade para salvar vidas. O trânsito não é feito de robôs. E você pode utilizar a gentileza mesmo estando com pressa, cada um cuidando do outro. O objetivo é mostrar que o que você faz pelo outro, faz pra você também. Atitudes individuais podem fazer grande diferença no coletivo.

A Assembleia Legislativa disponibilizou os meios de comunicação para contribuir com o tema. Qual a importância do engajamento das organizações?

Esse é exatamente o objetivo do Maio Amarelo: colocar o tema trânsito em pauta, mostrar o número de mortes que temos todos os dias. A participação da Assembleia, Casa tão relevante para a sociedade, é muito importante. Todos os anos o Detran faz um chamamento para que a sociedade participe desse engajamento. A causa não é do Detran. Quanto mais pessoas discutirem o trânsito, mais nós vamos repercutir o respeito ao outro. Todo mundo tem um conhecido, um parente ou conhece alguém que morreu ou ficou com sequelas graves por causa do trânsito. Somente a relevância dessa temática pode mudar os comportamentos e as estatísticas. 

Ambientalistas defendem contorno em Sooretama
Alternativa para dar seguimento ao projeto de duplicação da BR-101 foi apontada por ativistas da área ambiental em reunião de colegiado que atua na fiscalização da o...
Deputados tomam posse no Cepir
Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial tem por objetivo propor políticas de promoção de igualdade para segmentos étnicos
Comissão debate ações contra o trabalho infantil
Relação da pandemia com a violação de direitos da infância foi uma das preocupações apontadas em audiência da Comissão de Proteção à Criança
Ato autoriza reuniões presenciais de comissões
Colegiados permanentes e temporários vinham realizando encontros virtuais, em consonância com decisão anterior 
Ambientalistas defendem contorno em Sooretama
Alternativa para dar seguimento ao projeto de duplicação da BR-101 foi apontada por ativistas da área ambiental em reunião de colegiado que atua na fiscalização da o...
Deputados tomam posse no Cepir
Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial tem por objetivo propor políticas de promoção de igualdade para segmentos étnicos
Comissão debate ações contra o trabalho infantil
Relação da pandemia com a violação de direitos da infância foi uma das preocupações apontadas em audiência da Comissão de Proteção à Criança