Em vigor, lei garante tag para viaturas policiais

Ambulâncias e outros veículos que prestam serviço de utilidade pública também poderão ser contemplados com dispositivo para agilizar a passagem dos veículos

Por Gleyson Tete com informações da assessoria de imprensa do deputado Bruno Lamas | Atualizado há 4 meses

Posto de pedágio
Gestores deverão oficiar às concessionárias para solicitar dispositivo / Foto: Fernando Madeira

Entrou em vigor a Lei 11.238, que obriga as concessionárias de serviços públicos que operam em rodovias estaduais a fornecerem dispositivos eletrônicos (os chamados tags), ou outros sistemas que venham a ser implementados, para os veículos das polícias Civil (PCES) e Militar (PMES), do Corpo de Bombeiros (CBMES) e ambulâncias. A nova lei foi publicada no Diário do Poder Legislativo (DPL) desta terça-feira (19) e teve como origem proposição (PL 589/2020) do deputado Delegado Danilo Bahiense (sem partido).

Emenda

Uma alteração ao texto original, proposta pelo deputado Bruno Lamas (PSB), estendeu o alcance da medida para assegurar o livre acesso de guinchos, carros de lixo e carros-fortes, dentre outros veículos que realizam serviços de utilidade pública, nos pedágios estaduais, entre eles a Terceira Ponte.

A medida que integra a lei promulgada pela Assembleia Legislativa foi incluída na norma a partir de emenda oral apresentada por Bruno Lamas ao projeto de Bahiense. Com o novo texto, o parlamentar conseguiu incluir outras categorias, além dos veículos das polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiro Militar e ambulâncias vinculadas à Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), já previstos na proposta original.

Com a mudança, as concessionárias de serviços públicos também ficam obrigadas a fornecer os dispositivos eletrônicos aos veículos destinados à manutenção e reparo de redes de energia elétrica; de água e esgotos, de gás combustível canalizado e de comunicações; além dos que se destinam à conservação, manutenção e sinalização viária, quando a serviço de órgão executivo de trânsito ou executivo rodoviário.

Na lista, também foram incluídos: os destinados ao socorro mecânico de emergência nas vias abertas à circulação pública (guinchos); os veículos especiais destinados ao transporte de valores (carros-fortes); e os veículos destinados ao serviço de escolta, quando registrados em órgão rodoviário para tal finalidade.

Os veículos especiais destinados ao recolhimento de lixo a serviço da administração pública e os veículos destinados à manutenção e restabelecimento dos sistemas das linhas e estações metroferroviárias também constam na emenda.

“A aprovação da proposta foi fundamental porque dá maior celeridade aos serviços públicos no seu dia a dia, além de impedir que carros-fortes fiquem parados, colocando em risco outros motoristas”, destaca Bruno.

Além disso, a proposta do parlamentar pode ajudar a reduzir os engarrafamentos na via, uma vez que motoristas não precisarão ficar parados, aguardando os veículos a serviço do Estado passarem pelas cancelas na forma em que ocorre hoje.

O benefício deverá ser assegurado mediante envio de ofício às concessionárias com cópia do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) e, quando se tratar de veículo locado, também a cópia do contrato de locação. De acordo com o caso, o responsável pela solicitação poderá ser o delegado-geral da PCES, o comandante-geral da PMES, o comandante-geral dos Bombeiros e o secretário de Estado da Saúde.

Aprovação

O Projeto de Lei (PL) 589/2020 foi aprovado no final do ano passado e encaminhado para sanção do Executivo estadual. Como o governador Renato Casagrande (PSB) não se manifestou no prazo legal (15 dias úteis), a legislação foi promulgada pelo presidente da Assembleia Legislativa (Ales) Erick Musso (Republicanos).

Ambientalistas defendem contorno em Sooretama
Alternativa para dar seguimento ao projeto de duplicação da BR-101 foi apontada por ativistas da área ambiental em reunião de colegiado que atua na fiscalização da o...
Deputados tomam posse no Cepir
Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial tem por objetivo propor políticas de promoção de igualdade para segmentos étnicos
Comissão debate ações contra o trabalho infantil
Relação da pandemia com a violação de direitos da infância foi uma das preocupações apontadas em audiência da Comissão de Proteção à Criança
Ato autoriza reuniões presenciais de comissões
Colegiados permanentes e temporários vinham realizando encontros virtuais, em consonância com decisão anterior 
Ambientalistas defendem contorno em Sooretama
Alternativa para dar seguimento ao projeto de duplicação da BR-101 foi apontada por ativistas da área ambiental em reunião de colegiado que atua na fiscalização da o...
Deputados tomam posse no Cepir
Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial tem por objetivo propor políticas de promoção de igualdade para segmentos étnicos
Comissão debate ações contra o trabalho infantil
Relação da pandemia com a violação de direitos da infância foi uma das preocupações apontadas em audiência da Comissão de Proteção à Criança