Dois novos projetos sobre ICMS começam a tramitar

Doutor Hércules propõe alíquota zero para o arroz; já Executivo quer isentar as doações de materiais de prevenção à Covid feitas à Justiça Eleitoral

Por Luciana Wernersbach | Atualizado há 1 ano

Saco de juta com arroz
Proposta incide sobre o arroz com casca e o semibranqueado ou branqueado, ambos não parboilizados / Foto: Ascom/Governo Santa Catarina

Dois novos projetos referentes ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) começam a tramitar na Assembleia Legislativa. De autoria do governo, o Projeto de Lei (PL) 502/2020 isenta de ICMS as operações de doação à Justiça Eleitoral de produtos e materiais de prevenção e combate à Covid-19, visando à realização das eleições municipais deste ano. Para isso, o projeto altera a Lei 7.000/2001, que regula a cobrança do imposto. A matéria será analisada pelas comissões de Justiça e de Finanças.

Já o PL 501/2020, do deputado Doutor Hércules (MDB), altera para zero a alíquota do ICMS incidente no arroz com casca não parboilizado e no arroz semibranqueado ou branqueado, não parboilizado. Atualmente a alíquota que incide sobre os produtos no Espírito Santo é de 17%. A matéria será analisada pelas comissões de Justiça e de Finanças.

A preocupação do autor, segundo justificativa da matéria, é com a elevação da inflação no país, o que vai prejudicar ainda mais os pobres. “O preço do arroz variou mais de 107% nos últimos 12 meses. Nos supermercados, o produto de cinco quilos, que custava R$ 15, está sendo vendido por até R$ 40. Os motivos para a alta são uma combinação da valorização do dólar frente ao real, o aumento da exportação e a queda na safra. Por isso propomos a alíquota zero para o arroz no Espírito Santo”, explica. 

Deputados: Doutor Hércules
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular
Deputado alerta para uso responsável de auxílio
Majeski criticou oferta de crédito consignado para o Auxílio Brasil e lembrou os altos juros cobrados nos empréstimos
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular