Uso de amianto é abordado em comissão

Assunto foi levantado em debate sobre Política de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado

Por Luciana Wernersbach

Convidados da comissão
Houve discordância sobre efeito do amianto na saúde / Foto: Ellen Campanharo

A Comissão de Assistência Social se reuniu nesta quarta-feira (12) para debater a Política de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado. O uso do amianto, matéria-prima utilizada principalmente em telhas, acabou vindo à tona. Isso porque o Ministério da Cidadania autorizou o repasse de cisternas para captação de água de chuva a 2.800 famílias capixabas de extrema pobreza que não têm acesso à água.

Acompanhe mais fotos da comissão

Ocorre que em 80% das casas dessas famílias, o telhado e a calha são feitos de amianto e atualmente existe um debate sobre a possibilidade que esse material tem ou não de causar câncer.

A especialista em Desenvolvimento Humano e Social da Secretaria de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades), Kelly Santiago, é quem acompanha, monitora e fiscaliza o Programa Cisterna. Segundo ela, não há estudos que comprovem a relação do produto com o câncer e por isso o repasse continua.

“Na gestão do governo federal passado a orientação era construir cisternas apenas em residências cujo telhado não fosse de amianto. Nós temos hoje um novo documento, dizendo que – de acordo com os estudos – não há problema em ter essa água passando pelo telhado”, explicou a técnica da Setades.

O presidente do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional do Espírito Santo, Rosemberg Moraes Caitano, reagiu negativamente à nova informação. “As orientações não nos foram oficialmente comunicadas. Mas o que acreditamos é que deve continuar proibida a cisterna para calha de amianto até termos bastantes informações técnicas, estudos e pesquisas que comprovem não ser cancerígeno”, avaliou Rosemberg.

Também participou da reunião a presidente do Conselho Estadual de Assistência Social, Elizeth dos Anjos. Ela falou sobre a atuação do conselho e convidou os deputados a participarem das reuniões, que acontecem na segunda terça-feira de cada mês.

O presidente da comissão, deputado Adilson Espindola (PTB), agradeceu a participação dos convidados e disse que os requerimentos levantados serão avaliados e depois respondidos para que a sociedade tenha um retorno o mais rápido possível.

Os deputados ainda aprovaram o convite para a próxima reunião do titular da Setades, Bruno Lamas (PSB), com o objetivo de fazer a prestação de contas do primeiro semestre de 2019.

Orçamento 2023 recebe 971 emendas
Comissão de Finanças terá até dia 7 de dezembro para acatar ou rejeitar as sugestões feitas à peça
Próximo governo: policiais reforçam demandas
Em reunião na Ales, eles disseram esperar que o governador reeleito atenda pleitos apresentados durante campanha eleitoral
Chuvas: Ales sinaliza apoio aos municípios
Legislativo coloca-se pronto para atender e ratificar situações oficiais de calamidade pública, permitindo agilidade no repasse de recursos estaduais 
Bahiense quer prevenção a novos atentados em escolas
Presidente da Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente propõe medidas de segurança, como botão de pânico, câmeras de monitoramento e vigilância armada
Orçamento 2023 recebe 971 emendas
Comissão de Finanças terá até dia 7 de dezembro para acatar ou rejeitar as sugestões feitas à peça
Próximo governo: policiais reforçam demandas
Em reunião na Ales, eles disseram esperar que o governador reeleito atenda pleitos apresentados durante campanha eleitoral
Chuvas: Ales sinaliza apoio aos municípios
Legislativo coloca-se pronto para atender e ratificar situações oficiais de calamidade pública, permitindo agilidade no repasse de recursos estaduais