Lievore elogia decisão do STF sobre a Lei Maria da Penha

O Supremo tribunal Federal eliminou a obrigatoriedade de a mulher representar contra seu agressor.

Por Redação Web Ales

Genivaldo Lievore /

Genivaldo_Lievore_media_18052011.jpg
Foto: Eduardo Klein

A recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a Lei Federal nº 11.340/2006, mais conhecida como Lei Maria da Penha, foi elogiada pelo deputado Genivaldo Lievore (PT), em discurso no Plenário Dirceu Cardoso da Assembleia Legislativa (Ales).

O STF eliminou a obrigatoriedade de a mulher representar contra seu agressor e determinou que não compete aos juizados especiais julgar os crimes enquadrados na Lei Maria da Penha, explicou Lievore, acrescentando que isso representa uma conquista dos movimentos populares e de mulheres.

Muitas vítimas, no momento da agressão, concordam em denunciar seu algoz. Mas depois, temendo retaliação do agressor – que em geral vive com elas –, retiram a queixa. Isso agora não será mais possível. Mais: qualquer cidadão poderá denunciar a agressão, não somente a mulher vítima de violência.

A Lei Maria da Penha dispõe sobre mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Na avaliação de Genivaldo Lievore, o entendimento do STF representa uma conquista, mais um instrumento importante para mudar essa relação de violência que assola o País.

O deputado citou a ministra Carmen Lúcia, que no julgamento da ação no STF disse que a mudança de mentalidade pela qual passa a sociedade, no que se refere aos direitos das mulheres, não admite mais ditados anacrônicos como “em briga de marido e mulher ninguém mete a colher” ou “o que se passa na cama é segredo de quem ama”.

Presidente da Comissão de Cidadania da Assembleia, notório defensor dos direitos das mulheres, Genivaldo Lievore concordou com a ministra Carmen Lúcia. Principalmente quando ela afirma que é dever do Estado entrar nas “quatro paredes” quando ali houver violência.

Aída Bueno Bastos / Web Ales
(Reprodução autorizada mediante citação da Web Ales)

Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica
Novo Carmélia promete reforçar área cultural
Revitalização do teatro é um dos destaques do projeto de reforma, apresentado à Comissão de Cultura da Assembleia
Aprovado fim de taxa de cartório para conselho escolar
Se virar lei, iniciativa aprovada pela Assembleia deve apoiar órgãos que representam comunidade escolar
PL que doa imóvel a VV tramita em urgência
No local já existem duas escolas, uma quadra e um Centro de Referência de Assistência Social
Finanças aprova calamidade para seis municípios
Requerimentos aprovados atendem as prefeituras de Marataízes, Vila Velha, São Mateus, Mucurici, Santa Leopoldina e Cariacica
Não há notícias referenciadas.