PL prevê aviso sobre desligamento de médicos

Segundo proposta, operadoras de planos de saúde deverão comunicar aos usuários o fim de contratos firmados com médicos, clínicas e laboratórios

Por Aldo Aldesco, com edição de Angèle Murad

Mãos seguram três carteirinhas de plano de sáude
Para Renzo, o comunicado deve ser feito independentemente de quem pediu o descredenciamento / Foto: Lucas S. Costa

As operadoras de plano de saúde poderão ser obrigadas por lei, no Espírito Santo, a comunicarem aos seus usuários, individualmente, toda vez que houver descredenciamento de prestadores de serviços, como hospitais, clínicas, laboratórios, médicos, consultórios e outros serviços vinculados.

A medida consta no Projeto de Lei (PL) 105/2022, apresentado pelo deputado Renzo Vasconcelos (PP). As operadoras estarão sujeitas a multa e interrupção da atividade, de acordo com o previsto pelos artigos 56 e 57 da Lei Federal 8.078/1990 (Código de Proteção e Defesa do Consumidor).

Independentemente se a iniciativa da interrupção contratual for da operadora de plano de saúde ou do prestador de serviços, o usuário do plano não poderá ser prejudicado pela falta de informação,defende o deputado. 

“A rescisão, partindo da operadora ou do hospital ou médico, deve ser comunicada sem prejuízo para o beneficiado. Assim sendo, cabe o entendimento da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o qual rejeitou a alegação de uma operadora que afirmou que a rescisão contratual não foi provocada por ela e que a clínica em questão não é uma entidade hospitalar. Portanto, independente dos motivos alegados pela operadora em questão, o descredenciamento deve sempre ser comunicado”, argumenta Renzo.

A matéria foi lida na sessão ordinária do último dia 9 de março, seguindo para análise nas comissões de Constituição e Justiça; Saúde e Saneamento Básico; Defesa do Consumidor e do Contribuinte; e Finanças. 

Deputados: Renzo Vasconcelos
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular
Deputado alerta para uso responsável de auxílio
Majeski criticou oferta de crédito consignado para o Auxílio Brasil e lembrou os altos juros cobrados nos empréstimos
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Reunião debate segurança em transporte escolar
Segundo advogado, motoristas de aplicativo estariam realizando transporte de estudantes de forma irregular