Deputados cobram tramitação de crédito para professores

Parlamentares pediram leitura do PL que prevê crédito de até R$ 7,5 mil para docentes; auxílio é destinado à compra de computadores e internet

Por Gleyson Tete, com edição de Nicolle Expósito

Pessoa utiliza notebook em mesa de trabalho
Mesa Diretora assegurou que proposta entrará na pauta da sessão de segunda-feira (26) / Foto: Ellen Campanharo

A sessão ordinária virtual desta terça-feira (20) foi marcada pela cobrança de deputados à Presidência da Assembleia Legislativa (Ales) para que seja colocado em pauta o Projeto de Lei (PL) 134/2021, do Executivo, que concede auxílio financeiro para professores da rede estadual para a aquisição de computadores e custeio de plano de internet. Segundo o presidente Erick Musso (Republicanos), a matéria deve ser lida na sessão da próxima segunda-feira (26).

O deputado Sergio Majeski (PSB) foi o primeiro a tocar no assunto. Ele falou que entende ser prerrogativa do presidente da Casa colocar ou não as proposições na pauta, mas pediu urgência para a proposta. “Em agosto do ano passado apresentei projeto desse teor. O governo se mostrou interessado, mas ficou enrolando, poderia ter sido colocado em votação há muito tempo. Agora que o governo manda para a Assembleia também está demorando. Já deveria estar na mão dos professores no começo do ano letivo”, afirmou.

Para o parlamentar, a ajuda do governo é fundamental para a melhoria do trabalho dos professores, principalmente no contexto da pandemia e das aulas virtuais. “Muitos professores estão se virando como podem, com computadores e celulares defasados. Poderia ter sido resolvido pelo governo no final do ano passado, mas não fez. Quando manda estamos indo para o final do mês de abril e os professores ainda não tiveram acesso”, lamentou.

Confira as fotos da sessão no Facebook

Marcelo Santos (Podemos), que presidia a sessão no momento, falou que tinha a informação de que a proposição entraria na pauta de segunda (26) e que isso não havia ocorrido antes pela grande quantidade de propostas tramitando na Casa e pelo número reduzido de servidores, o que acabou criando uma barreira burocrática para o PL em questão.

Iriny Lopes (PT) foi mais uma a pedir a tramitação da matéria. A petista, inclusive, disse que apresentou emenda com a finalidade de incluir os professores que atuam no campo entre os beneficiados pelo auxílio. “Venho colocando reiteradamente minha posição contrária a aulas presenciais. Eu luto por condições de igualdade para alunos e professores para aulas virtuais, um projeto como esse resolve, mesmo que parcialmente. Com a emenda vamos ampliar e criar condições”, enfatizou.

Por fim, Musso ratificou a fala de Marcelo, garantindo que na próxima sessão a proposição será avaliada e que acredita que os deputados poderão até mesmo melhorar a iniciativa oriunda do Executivo estadual. “Estou recebendo DTs pedindo emenda para que não seja de forma devolutiva. Peço à Comissão de Educação para verificar porque parece que tem uns anteriores que precisam ser entregues para receber os novos. Têm coisas que não são impeditivas, mas acho que a Assembleia pode arredondar o projeto e nesse tempo de pandemia fazer esse benefício”, destacou.

Na sessão de segunda (19) os deputados Gandini (Cidadania) e Dary Pagung (PSB), líder do governo, já haviam cobrado a presença da proposição no Expediente. Ambos apresentaram requerimentos para que o projeto possa tramitar em regime de urgência. O PL 134/2021 foi protocolado no sistema do Legislativo estadual no dia 15 de abril.

Novos projetos

Cinco novas iniciativas foram lidas no Expediente para simples despacho e começaram a tramitar na Casa. Destaque para o Projeto de Lei (PL) 143/2021, de Marcelo Santos, que institui a Taxa de Controle, Monitoramento e Fiscalização das Atividades de Pesquisa, Lavra, Exploração, Aproveitamento e Comercialização de Recursos Minerários (TFRM) e o Cadastro Estadual de Controle, Monitoramento e Fiscalização das Atividades de Pesquisa, Lavra, Exploração, Aproveitamento e Comercialização de Recursos Minerários (CERM). A matéria foi encaminhada para as comissões de Justiça, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia e Finanças.

Confira como ficou a Ordem do Dia:
 

  • Projeto de Lei (PL) 626/2019, de Capitão Assumção (Patri), que proíbe a venda de produtos, equipamentos e materiais de uso clínico odontológico restrito a pessoas não registradas no Conselho Regional de Odontologia (CRO-ES). Arquivado;
  • Projeto de Lei (PL) 688/2019, de Luciano Machado (PV), que determina que as instituições financeiras disponibilizem aos consumidores com deficiência visual, cartões de débito e ou crédito com as informações vertidas em caracteres de identificação tátil em Braile. Arquivado
     
Proposta homenageia escritor capixaba
Iniciativa declara Amâncio Pinto Pereira patrono da Educação no Espírito Santo e busca dar visibilidade à produção literária do capixaba
Bancos de leite amparam mulheres na amamentação
Além de prover bebês internados com o leite doado, essas instituições também orientam mães no aleitamento  
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros
Condutor de viatura pode ficar isento de pagar CNH
Proposta beneficia servidores das polícias Civil, Militar, Penal, Bombeiro Militar e do Iases responsáveis pela condução de veículos dos órgãos
Proposta homenageia escritor capixaba
Iniciativa declara Amâncio Pinto Pereira patrono da Educação no Espírito Santo e busca dar visibilidade à produção literária do capixaba
Bancos de leite amparam mulheres na amamentação
Além de prover bebês internados com o leite doado, essas instituições também orientam mães no aleitamento  
Matéria veda homenagem a escravocratas
Prédios públicos também não poderão ter o nome de defensores da ditadura militar, nazistas, condenados por racismo, entre outros