Animais: condomínios deverão notificar maus-tratos

Projeto determina que indícios de atos de crueldade contra animais sejam informados às autoridades competentes por síndicos e administradoras

Por Márcia Tourinho

Deputado Luciano Machado discursa na tribuna
Luciano Machado diz que proposta reforça dispositivos constitucionais de proteção à fauna / Foto: Ellen Campanharo

Os condomínios, por meio de seus síndicos ou administradores, deverão comunicar aos órgãos de segurança pública sobre indícios de maus-tratos aos animais praticados nas áreas privativas ou comuns. A medida está definida no Projeto de Lei (PL) 517/2020, de iniciativa do deputado Luciano Machado (PV).

O texto da matéria estabelece que, caso os maus-tratos estejam em andamento, o contato com as autoridades deve ser imediato. Já ocorrências passadas devem ser informadas até 24 horas após conhecimento do fato.

Nas duas situações, conforme diz a iniciativa, a denúncia deve ser acompanhada, se possível, da identificação do agressor, dados do animal – como raça, cor, espécie ou características físicas que permitam sua identificação – endereço onde o animal se encontra e pormenores sobre os indícios ou provas da ocorrência de maus tratos.

Segundo Luciano Machado, a medida cumpre dispositivos das constituições federal e estadual ao reforçar mecanismos de proteção aos animais. Sobre a necessidade de legislar a respeito de normas em condomínios, sejam eles residenciais ou não, o autor sustenta na justificativa da proposta que esses espaços “(...) são locais propícios para o cometimento de maus-tratos a animais, devendo ser reprimidos o quanto antes, logo, surge a necessidade e obrigação dos responsáveis pelos condomínios denunciarem a prática de maus-tratos”, afirma Machado.

Divulgação

O PL prevê ainda que comunicados e faixas deverão ser colocados nas áreas comuns dos condomínios sobre a nova legislação e,  se houver  comprovação de descaso ou omissão por parte do síndico ou administrador, a penalidade será aplicada ao condomínio, que arcará com multa a ser fixada por órgão competente.

Tramitação

A matéria foi lida em Plenário no dia 28 de setembro. Antes de ser votada passará por análise e elaboração de parecer nas comissões de Justiça, Meio Ambiente, Segurança e Finanças. 
 

Deputados: Luciano Machado
Vacina: Deputada quer prioridade para jornalistas
Janete de Sá protocolou indicação ao governo sugerindo a imunização prioritária de profissionais de imprensa
Lei: Facas expostas à venda devem estar protegidas
Lei de autoria de Torino Marques obriga estabelecimentos a manter facas, canivetes, estiletes e facões em compartimentos protegidos por vidro ou acrílico
Presidente do Sindilegis morre vítima de Covid
Gildo Gomes estava internado desde 21 de março e faleceu na manhã desta sexta em decorrência de complicações da doença
Ales recebe 300 cestas de alimentos em 1º dia de campanha
Oferta feita por um grupo de empresas foi entregue pela Findes e será destinada a entidades que atendem a pessoas em vulnerabilidade social
Vacina: Deputada quer prioridade para jornalistas
Janete de Sá protocolou indicação ao governo sugerindo a imunização prioritária de profissionais de imprensa
Lei: Facas expostas à venda devem estar protegidas
Lei de autoria de Torino Marques obriga estabelecimentos a manter facas, canivetes, estiletes e facões em compartimentos protegidos por vidro ou acrílico
Presidente do Sindilegis morre vítima de Covid
Gildo Gomes estava internado desde 21 de março e faleceu na manhã desta sexta em decorrência de complicações da doença